Seguidores

SE VOCÊ COMPARTILHAR ALGUMA MENSAGEM DESTE BLOG, FAVOR REPRODUZI-LA EM SUA INTEGRALIDADE, CITANDO A FONTE OU INDICANDO O LINK DA MESMA.

19 de jul de 2012

MARIA – 19 de julho de 2012



Mensagem publicada em 20 de julho, pelo site AUTRES DIMENSIONS.


Áudio da Mensagem em Francês

Link para download: clique aqui







Eu sou MARIA, Rainha dos Céus e da Terra.

Filhos bem amados, estou, novamente, com vocês, em vocês e ao seu redor, cercando-os de minha Presença, de nossa Comunhão, que lhes dá a perceber, além de minha Humilde Presença, a ação de nossa Comunhão.

O Som da Graça, talvez, tilinta em seus ouvidos.
Hoje se derrama, inteiramente, tanto sobre esta Terra como sobre esse corpo no qual vocês estão, o Manto Azul da Graça.

Eu venho, a fim de responder às suas questões, mas, antes, permitam-me dizer-lhes essas algumas palavras:

Lembrem-se do que havia sido dito há mais de dois mil anos.
Há, em vocês, a Eternidade.
Esse corpo que vocês habitam pertence à Terra: ele é moldado desta Terra.
Seu Reino não é desse mundo.
Muitos de vocês, nestes tempos específicos, despertam para o que vocês São, por diferentes mecanismos que há a viver.

Lembrem-se, também, de que o que vocês São é Amor, e de que esse corpo no qual vocês Estão não pode pretender conhecer a realidade do Amor.
Ele apenas pode conhecer as projeções, as faltas, as emoções, as afeições.

O Amor é bem mais do que o que vocês têm vivido até o presente, o que vocês vivem, neste momento, para alguns de vocês (desde, já, alguns anos, ou numerosos anos) e, para outros, muito mais recentemente, e, enfim, para a maioria, eu diria, não ainda.
O Amor vem restituí-los a si mesmos, vem restituí-los ao que não conhece qualquer sofrimento e que conhece apenas a Beleza.

Os processos que se desenrolam, nessa carne que vocês habitam, sobre esta Terra que os porta, são destinados, antes de tudo, a fazê-los reencontrar seu Reino, aquele que não cessa, jamais, aquele que não lhes está, talvez, ainda, inteiramente, revelado, mas cujas primícias, mais ou menos avançadas, manifestam-se a vocês.

Essas manifestações são, aliás, numerosas.
Nós temos tentado, o conjunto da Confederação Intergaláctica e eu mesma, fazê-los viver, delas, algumas particularidades.
Hoje, é tempo de lembrarem-se de que seu Reino não é desse mundo, e que vocês São, exclusivamente, Amor.

Vocês são, todos, sem exceção, convidados à sua Eternidade.
Para isso, vocês devem, vocês sabem disso, desaparecer.

Não é a vida que desaparece, é, justamente, o que não está Vivo.
Tomem consciência e vivam isso: vocês são Amor, e vocês não são desse mundo.
Seu Reino nada tem a ver com esse corpo da Terra, ele é apenas uma vestimenta colocada sobre sua Eternidade.
Essa vestimenta é revestida, ela mesma, do Manto da Graça e que os restitui a si mesmos é, muito exatamente, isso que é a Ascensão.

Não há alternativa que não o Amor, para vivê-lo, em sua totalidade, em sua globalidade.
Todo o resto não existe, não tem importância alguma.
Só o Amor, não o amor tal como vocês o conheceram ou viveram, mas o Amor que vocês São é capaz de restituí-los a si mesmos.

Então, eu pedi para que questões concernentes à Ascensão chegassem a mim, porque as questões que vocês colocam, aqui, é claro, colocam-se por toda a parte.

Então, se vocês o quiserem, vou respondê-las.
Mas vou respondê-las bem além das palavras que vou pronunciar, porque o mais importante (e inúmeros de vocês que me seguem sabem disso), para vivê-lo, o importante não são as palavras, mas o que vocês retêm delas, na Vibração, na consciência e, doravante, no Amor e no Manto Azul da Graça.

Essas palavras estão aí apenas para fazer ressoar nossa Comunhão, além de vocês e além de mim, além de sua entidade e além de minha entidade, nessa forma de comunicação, que não é uma, mas que é, efetivamente, essa alquimia, que lhes dá a perceber e a ver a realidade de quem nós somos.

Não há diferença entre cada um de vocês.
Não há diferença entre vocês e nós.
Só os Véus da ignorância, que foram postos sobre esse mundo, impediram-nos de vivê-lo, mesmo se inúmeros Irmãos e Irmãs, de todos os tempos, em todo lugar, que exprimem e que se exprimem em suas culturas, tocaram essa indizível Graça.
Porque o Amor é uma graça.

E, vivendo o que vocês São (como alguns de vocês o vivem), a graça torna-se permanente.
Há uma Paz que nenhuma satisfação desse mundo pode dar-lhes, e isso, eu sei, vocês o vivem.
O Coro dos Anjos aproxima-se de seu ouvido.
Meu Manto, que é o seu, recobre-os.
É aí que vocês encontram a força, é aí que vocês encontram o que vocês São, a partir do instante em que se esquecem de todo medo, de toda resistência.

É esse, eu diria, de algum modo, seu desafio.
Nós o temos nomeado de diferentes modos: o medo ou o Amor, o sofrimento ou a Paz.
São vocês que decidem, segundo onde vocês estão.
Vocês são Livres: vocês sempre foram Livres, no que vocês São, não sobre esse mundo.

Então, vamos começar.
Mas eu lhes peço, sobretudo, para irem, durante minha Presença, para além das palavras que vão ouvir, e entrarem na essência de nossa Comunhão.

Nós podemos começar.

Questão: sentir o coração comprimido, doloroso, depois leve, faz parte da Ascensão?
 
Meu Filho, seguramente, isso o é.
Tudo o que há a viver, e que vocês vivem ou viverão, tem apenas um único objetivo, apenas uma única função: fazê-los viver a Verdade.

Tudo o que se produz em sua vida, em suas noites, no que vocês fazem, tem por única função dar-lhes a viver o Amor, não tal como vocês poderiam idealizá-lo, projetá-lo ou vivê-lo como vocês o têm vivido até o presente, mas, efetivamente, penetrar na Essência do Amor que é, eu o repito, o que vocês São.

Então, é claro, muitos sinais, muitas manifestações – novas, para vocês – produzem-se.
Algumas delas podem ser alarmantes para esse corpo de carne, mas a finalidade continuará, sempre, a mesma e, efetivamente, faz parte, realmente, do processo da Ascensão que vocês vivem.

Estejam atentos para deixar viver-se o que se vive.
Estejam atentos para não querer ter a explicação nem a interpretação porque, quanto melhor vocês se Abandonarem, quanto melhor vocês nada forem, melhor viverão este período.
Aqueles que soltaram, aqueles que aceitam viver o que há a viver sabem disso, pertinentemente, porque o vivem.
Não porque aderiram ou renunciaram a isso: eles a nada renunciaram.
Eles não saíram desse mundo, uma vez que são seus Irmãos e suas Irmãs que estão aí.
Eles estão plenamente Vivos, eles são Liberados, são Liberadores e compartilham, com vocês, a Doação da Graça, mesmo se vocês não o vejam, mesmo se não o percebam.

Talvez, porque muitos de vocês apresentem, ainda, uma distância em relação a isso, porque há ou medos, ou porque o momento, ainda, não chegou, completamente, para vocês.
Quanto mais vocês permanecerem silenciosos, ao nível do mental, ao nível da interpretação, melhor vocês viverão o que têm a viver.

Questão: com qual corpo faz-se a Ascensão? Ela começa durante a encarnação?
 
Meu Filho, o que se vive nesse corpo, quer ele seja chamado saco ou Templo, nada muda, porque o saco contém algo.
O Templo é um adorno que contém ou que se supõe conter algo e, para vocês, é claro, vocês são o que está no Interior desse saco ou desse Templo.

O que vocês vivem, nessa carne, em sua consciência, em suas experiências, em sua vivência é, muito exatamente, a Ascensão.
Não se preocupem em saber qual corpo: é esse corpo aí?
É um corpo mais sutil?
É o Corpo de Existência?
Ou é a consciência pura que Ascensiona?

Vocês sabem, é o conjunto desse Sistema Solar que Ascensiona: tanto a Terra como os elementos, tanto os vegetais como os animais, como vocês mesmos.
Vivendo a Ascensão, vivendo o que lhes é dado a viver, durante este período, isso lhes concerne, diretamente, individual e coletivamente.

A questão que é colocada através disso é, certamente, de algum modo, mesmo se não seja reconhecido, o medo de perder esse corpo.
Mas, assim que você toma consciência de sua Eternidade, assim que você se instala na Graça, assim que se instala em sua Essência, que é o Amor, o que lhe importa esse corpo ou outro corpo?
Porque, a partir do instante em que há Comunhão, Fusão, a Dissolução está muito próxima.

Então, quer você esteja nesse corpo, nesse Templo, nesse saco, quer você esteja em outro corpo, quer você seja o Sol ou o conjunto dos Universos, isso não faz, estritamente, qualquer diferença.
Só o olhar daquele que tem medo ali vê uma diferença.

Você não pode mais duvidar do que quer que seja, a partir do instante em que o Manto Azul está sobre você, a partir do Instante em que nossas Presenças estão ao seu lado, a partir do instante em que a Onda de Vida percorre você porque, naquele momento, você é Absoluto, você é sua Essência.

Então, qualquer que seja a forma (a forma é apenas o que contém a Essência), qualquer que seja essa forma, qualquer que seja a Dimensão dessa forma, o mais importante não é a forma com a qual se produz a Ascensão, mas o Amor com o qual se produz a Ascensão.
Isso é profundamente diferente.

Questão: todos nós vamos viver o estado de estase, no momento da Ascensão?

Meu filho, muitos de vocês vivem momentos em que a consciência comum não existe mais, momentos em que vocês não sabem mais nem quem vocês são, nem onde estão, nem o que fazem.

Para alguns de vocês, é extremamente difícil funcionar como antes, sobretudo para aqueles de vocês que o vivem, de maneira acelerada, agora.
Para aqueles que o vivem há numerosos anos, esses instantes fugazes nos quais a obliteração da consciência desse corpo aparece, assim como do mental, são uma prova suplementar de que se produz algo.

Vocês terão, se se interrogam uns aos outros, vocês constatarão, compartilhando, que vivem muitas coisas que são similares.
Mesmo se a expressão possa ser diferente, de acordo com a revelação do Amor em vocês.

Assim, a estase corresponde a uma realidade, para alguns de vocês, agora e já.
A Onda de Vida convida-os a despertar.
A Onda de Vida passa, também, por vezes, pela dormência desse corpo, que lhes parece não mais estar vivo.

Quando vocês viajam nas Embarcações, fora de seu corpo, quando visitam um Irmão, uma Irmã, ou quando uma Estrela ou um Ancião ou um Arcanjo visita-os, produz-se esse mecanismo ao nível do corpo, seja em suas noites ou em diversos momentos.
E vocês constatam, naquele momento, que a própria percepção de seu corpo não é mais a mesma.
Ele pode parecer-lhes doloroso e pesado, pode parecer-lhes não existir ou não mais existir: é exatamente a mesma coisa.
A expressão é diferente, é claro, de acordo, justamente, com o fato de sua consciência estar instalada, inteiramente, no que vocês São, ou se ela permanece, ainda, apegada a esse corpo e à pessoa que vocês vivem.

Então, sim, os mecanismos nomeados «a estase», alguns de vocês o vivem, por episódios: o corpo não responde mais, a consciência não responde mais ou, então, o mental não pode mais funcionar como antes.
Não se trata de senilidade, mas, bem mais, de sua Ressurreição, em sua Eternidade.

Questão: nós Ascensionaremos, todos, ao mesmo tempo?

Existe um momento final.
Esse momento final, como vocês sabem, é a Terra que o decide.

Existem, neste momento, Ascensões individuais.
Todos os sintomas que eu havia dado, tudo o que vocês vivem, neste momento, participa de sua Ascensão.
Só o sofrimento não pode participar disso.

Portanto, a Ascensão desenrola-se em seu ritmo, enquanto não há sincronia da Terra, o que está, como eu lhes disse, extremamente próximo.
E, enquanto eu não lhes tenha Anunciado, seu Canal Mariano dá-lhes a ouvir e a viver Vibrações novas, o Coro dos Anjos, como eu disse, aparece, os Sons modificam-se, dando-lhes uma prévia [antegosto] de meu Apelo.
E, obviamente, alguns já responderam.

Nós dissemos, aliás, que, frequentemente, uma de minhas Irmãs ou eu mesma pode chamá-los por seu nome.
Esse Apelo é um Apelo individual, de momento, que os chama a acordar.
Alguns de vocês responderam.
O Testemunho disso é, justamente, a modificação desses Sons e a Onda de Vida, é claro, e os processos que modificam, de modo cada vez mais evidente, para aqueles que os vivem, as percepções desse corpo.
O sentimento de que ele está anestesiado ou, ao contrário, muito sensível, ou de estar no lugar, ou de viver os mecanismos de Comunhão, de Fusão, de Dissolução que lhes dão conta de que vocês não são esse corpo.

Portanto, a Ascensão é, muito precisamente, o que vocês vivem.

A partir do instante em que a Terra foi Liberada, em que a Onda de Vida apareceu, à disposição, para cada um, conforme vocês acolhem essa graça, conforme seus medos são evacuados, foram superados pela ação da graça, a partir do instante em que vocês não resistem, vocês sabem o que vivem.
Isso não pode dar qualquer dúvida.
Vocês se reencontram, enfim, e é isso que os põem na Paz.
E é isso que põe fim a todos os apegos, a todos os sofrimentos, a todas as interrogações e a todas as dúvidas.

É claro, aqueles de seus Irmãos e de suas Irmãs que, por razões que lhes são próprias, não o vivem, ainda, continuarão na dúvida.
Mas a dúvida que eles projetam é apenas a própria dúvida deles.
Vocês, vocês sabem, se o vivem.

Questão: ter os braços paralisados, encontrar-me bilocalizado, sentir a lemniscata sagrada, a linha do nariz e o ponto Ki-Ris-Ti das costas são as primícias de minha Ascensão?

Meu filho, não são as primícias da Ascensão, é o desenrolar da Ascensão.
Isso faz parte do conjunto de sinais, de consequências e manifestações que traduzem, muito precisamente, a Ascensão.

Não há outro modo de passar de uma forma à outra, de um estado ao outro, do que aquele de perceber esse nascimento, essa Ressurreição.
Isso corresponde às modificações do corpo, que eu exprimi.
Isso corresponde à consciência de que vocês não são esse corpo, mas de que vocês estão nesse corpo.
Isso corresponde ao mecanismo da Dissolução, sim, efetivamente.

Questão: há uma diferença entre Ascensão e Assunção?

Foi o que eu vivi, encarnada em um corpo de carne, como vocês, é uma Assunção.
Quer dizer que meu corpo de carne partiu.

O processo é diferente para vocês porque, mesmo se há Assunção, essa Assunção desse corpo, estritamente, para nada lhes servirá.
Simplesmente, é necessário, para alguns de vocês, viver a Assunção, ou seja, que esse corpo Ascensione, ele também.
Não para conservá-lo em um tempo longo, mas, efetivamente, para dele viver memórias, não para vocês, mas que serão úteis para o que resta a consumar no conjunto de mundos ainda não Liberado.

Vocês constatarão, por si mesmos que, vivendo os mecanismos de Dissolução, vivendo o que vocês São: a graça, esse gênero de questão não poderá mais aflorar-lhes porque, naquele momento, reencontrando-se a si mesmos, vocês o vivem.
Vocês estão nesse corpo, mas sabem que não são esse corpo.
E o que vocês vivem confirma isso, o que quer que se torne esse corpo.

Como foi dito, não são vocês que desaparecem, é a ilusão, o Efêmero.
Vocês, vocês nascem, Ressuscitam, reencontram a Liberdade e o Amor que vocês São.

Não temos mais perguntas, agradecemos.

Então, como será cada vez mais o caso quando de nossas vindas, seja nos momentos em que vocês estão presentes, a escutar-me, ou em outros, seja nos momentos de suas leituras ou de escuta, e como já é o caso para inúmeros de vocês, vocês constatam, lendo, escutando, estando presentes, que a consciência desaparece, que vocês adormecem ou, então, que vocês passam ao Absoluto.
É a estrita Verdade.

Então, eu lhes proponho, hoje (e como suas questões calaram-se), viver um momento de Comunhão, de Fusão, de Dissolução, acolhendo o Coro dos Anjos, acolhendo o Amor.

A partir deste instante, Comunguemos, juntos, no silêncio completo de minhas palavras.
Nada façam.
Estejam, simplesmente, aqui, comigo, consigo.

... Partilhar da Doação da Graça...

Nesse silêncio, nessa Paz, na qual nada mais do que é efêmero pode tocá-los, a Graça toca-os.
O Coro dos Anjos e a Paz estão aí.
Chamem-nos, nós responderemos.

... Partilhar da Doação da Graça...

Entre nós, a distância é abolida.

... Partilhar da Doação da Graça...

Eu os convido, e nós os convidamos, a todas e a todos, a juntarem-se a nós.
Porque onde nós estamos é onde vocês estão, nessa Morada de Paz Suprema, nessa Doação da Graça, no Amor.

... Partilhar da Doação da Graça...

Nesse Silêncio pleno de Amor, pleno de vocês mesmos, há a Totalidade, há o Absoluto.
Há, também, esse corpo, há, também, esse Efêmero, mas eles desaparecem.

... Partilhar da Doação da Graça...

Eu sou Maria, Rainha dos Céus e da Terra.

Eu fico ao seu lado, para a Eternidade, se tal é sua escolha.
Eu volto para seu chamado, eu volto para todos vocês, acompanhada, esta noite, às 22 horas [hora francesa], pelo conjunto dos Anciões, pelo conjunto das Estrelas e dos Arcanjos, para viver a Graça.

Eu os Amo, na Liberdade.

... Partilhar da Doação da Graça...

Até breve.
________________________________________________
Compartilhamos estas informações em toda transparência. Obrigado por fazer do mesmo modo. Se você deseja divulgá-las, reproduza a integralidade do texto e cite sua fonte: http://www.autresdimensions.com/.

2 comentários:

  1. Vocês são, todos, sem exceção, convidados à sua Eternidade. Para isso, vocês devem, vocês sabem disso, desaparecer <> Tomem consciência e vivam isso: vocês são Amor, e vocês não são desse mundo <> Seu Reino nada tem a ver com esse corpo da Terra, ele é apenas uma vestimenta colocada sobre sua Eternidade <> Vocês são Livres: vocês sempre foram Livres, no que vocês São, não sobre esse mundo <> O mais importante não é a forma com a qual se produz a Ascensão, mas o Amor com o qual se produz a Ascensão. Isso é profundamente diferente <> Existe um momento final. Esse momento final, como vocês sabem, é a Terra que o decide <> Portanto, a Ascensão desenrola-se em seu ritmo, enquanto não há sincronia da Terra, o que está, como eu lhes disse, extremamente próximo <> Não são vocês que desaparecem, é a ilusão, o Efêmero. Vocês, vocês nascem, Ressuscitam, reencontram a Liberdade e o Amor que vocês São.

    ResponderExcluir
  2. Uma mensagem de Mãe mesmo, onde jorra muito Amor. Alguns itens:

    "Hoje se derrama, inteiramente, tanto sobre esta Terra como sobre esse corpo no qual vocês estão, o Manto Azul da Graça.
    O Coro dos Anjos aproxima-se de seu ouvido.
    Meu Manto, que é o seu, recobre-os.
    É aí que vocês encontram a força, é aí que vocês encontram o que vocês São, a partir do instante em que se esquecem de todo medo, de toda resistência.
    Estejam atentos para deixar viver-se o que se vive.Estejam atentos para não querer ter a explicação nem a interpretação porque, quanto melhor vocês se Abandonarem, quanto melhor vocês nada forem, melhor viverão este período.
    Quanto mais vocês permanecerem silenciosos, ao nível do mental, ao nível da interpretação, melhor vocês viverão o que têm a viver.
    Vocês sabem, é o conjunto desse Sistema Solar que Ascensiona: tanto a Terra como os elementos, tanto os vegetais como os animais, como vocês mesmos.
    Como foi dito, não são vocês que desaparecem, é a ilusão, o Efêmero.
    Vocês, vocês nascem, Ressuscitam, reencontram a Liberdade e o Amor que vocês São.
    Entre nós, a distância é abolida."

    Imperdível. Momento único de alçar voo.
    Alegria, Leveza, Comunhão.
    Verdadeiramente, Somos todos Um.
    Noemia

    ResponderExcluir