Seguidores

SE VOCÊ COMPARTILHAR ALGUMA MENSAGEM DESTE BLOG, FAVOR REPRODUZI-LA EM SUA INTEGRALIDADE, CITANDO A FONTE OU INDICANDO O LINK DA MESMA.

10 de mar de 2012

YVONE AMADA DE MALESTROIT – 10 de março de 2012

Mensagem publicada em 12 de março, pelo site AUTRES DIMENSIONS.


YVONNE-AIMEE-DE-MALESTROIT_10-03-2012 por autresdimensions


Irmãs e Irmãos humanos nessa carne, aqui e em outros lugares, eu sou a Vibração que porta KI-RIS-TI.
Eu fui, quando de minha última encarnação, IRMÃ YVONE AMADA DE MALESTROIT.
Eu venho, hoje, para render testemunho – embora numerosos testemunhos tenham sido rendidos e expressos – sobre o que eu vivi.
Esses testemunhos são apenas um olhar exterior, mesmo se alguns deles fossem muito próximos de mim, e muito exatos.

Minhas Irmãs enviam-me, hoje, entre vocês, a fim de testemunhar o que nós vivemos, nós todas, Estrelas.

Qualquer que seja o nome que se tenha dado a isso, nós todas fomos Esposas Místicas do CRISTO.
Então, se a palavra CRISTO incomoda-os, empreguem o que lhes importa: Buda, Absoluto, Eternidade.
Nossas irmãs orientais falavam de Brahman.
Tudo isso, sob vocábulos diferentes, recobre a mesma Verdade que eu nomearia, se efetivamente quiserem: o Casamento Místico.

Esse Casamento Místico é o próprio fundamento da Graça e o próprio fundamento e a própria realidade do que propicia esse Casamento Místico, essa doação da Graça à Graça.

É o Reencontro, um Reencontro, último, consigo mesmos, para além de toda aparência, para além de toda a vida, de toda suposição.
É uma animação que os transporta ao que nenhum humano que vive a personalidade pode nem exprimir nem sentir, nem mesmo aproximar-se.

O Casamento Místico é, efetivamente, para nós, Esposas do CRISTO, como para toda Esposa do CRISTO, a mesma coisa.
É um estado além do que é nomeado o espiritual.
É um estado em que o Êxtase é sua morada para a Eternidade.
Nós, que fizemos dizer, a muitos de nós, ao CRISTO ou ao Absoluto ao qual nós nos dirigíamos, para levar-nos, o mais rapidamente possível, tirar-nos da ilusão desse mundo.
E, no entanto, nós trabalhamos, cada uma ao seu modo, nesse mundo, ao mesmo tempo estando perfeitamente conscientes, através de uma das únicas frases que eu escrevi em minha vida: «que haja apenas um único Rei de Amor e que seu Reino não é desse mundo e que seu Reino é aquele do Absoluto, do Brahman, da Indizível Felicidade, do Indizível Êxtase, do Amor, se preferem».

Mas nenhum sentido humano pode viver ou compreender esse Amor.
Mesmo aquele de amores os mais bem sucedidos sobre a Terra estritamente nada seria em relação a esse Amor.
Não há, aliás, escala de valor nem escala de comparação, porque ele é incomparável.

Casar-se com o CRISTO, viver esse Casamento Místico é banhar-se, a cada minuto, a cada sopro – quer vocês estejam sobre esse mundo ou em outros lugares, em bilocação –, banhar-se do mesmo Êxtase, da mesma Onda de Felicidade que os preenche (que aniquila toda interrogação, toda questão e que, a cada instante, percorre-os e transporta-os bem além da experiência dos sentidos, bem além da experiência da encarnação, bem além da experiência do Sol ou de qualquer experiência vivida e efetuada, mesmo, na Existência).

Hoje, sobre esta Terra, o Manto Azul da Graça convida-os, a todos, sem exceção.
Despertos ou não Despertos, tanto jovens como idosos, doentes ou sãos, qualquer que seja o sexo, independentemente do que possa existir em vocês.
O importante, se o desejam, é renunciar a qualquer outra coisa que não o que representa esse Casamento Místico.

Nós pedimos, em nossa vida, ao CRISTO, para tomar-nos, inteiramente, porque nós sabíamos que, em Seu seio, estava a Liberdade a mais total, aquela de tornar-se Ele, de exprimir algo de inefável, de inenarrável em palavras sobre esse mundo.
Apenas as manifestações místicas desse Casamento Místico preencheram a vida de algumas de minhas Irmãs ou de meus Irmãos.

A verdadeira Liberdade não está nesse mundo.
A verdadeira Liberdade é esse Casamento Místico.
É aquela que, para além de toda dúvida, de todo medo, imerge-os e mergulha-os num oceano de contentamento permanente, no qual nenhum obstáculo, nenhuma guerra, nenhuma contradição exterior pode vir alterar o que acontece bem além desse corpo.

Aliás, esse corpo – que é o testemunho do que acontece – pode, como eu já o demonstrei em minha vida, cair extremamente doente e, a cada vez, ser apreendido e retirado pela Graça do Êxtase para viver a transformação dessa carne, que vai até torná-la totalmente imperecível – como foi o caso para mim –, até fazer banhar meu próprio corpo num néctar de rosa quando foi exumado.
Essa é uma Verdade, mas, é claro, essa não é a finalidade.
Por que fazer a incorruptibilidade dessa carne?
Simplesmente, essa incorruptibilidade é, apenas, o testemunho da magnificência dessa carne transcendida e despertada ao Amor, bem além, eu repito, de qualquer sentido e de qualquer experiência sensorial.

Esse Êxtase místico, esse Casamento Místico – que é a doação da Graça – está aberto a cada um.
Não há qualquer pecado.
Não há qualquer falta que os impeça de realizar isso.
Apenas a dúvida, apenas o medo, apenas a crença num erro ou num pecado impede-os, justamente, de viver isso.
É, portanto, exatamente o inverso do que sua pequena pessoa e, mesmo, o Si, pode considerar.

De fato, vocês estão além de tudo o que podem, mesmo, supor e, mesmo, aderir.
Vocês estão além, como lhes disseram os Anciões e os Arcanjos, além da Vibração.
Vocês estão além do Fogo do Coração, vocês são o que, durante o Conclave Arcangélico, MIGUEL havia chamado a última etapa das Núpcias Celestes: aquela em que o Silêncio faz-se Absoluto porque, é nesse Silêncio (no qual não existe qualquer projeção, qualquer visão, qualquer antecipação, qualquer história, qualquer passado, qualquer futuro, qualquer desejo) que se realiza o Indizível.
Esse Indizível é-lhes absolutamente aberto, sem qualquer limite.

Os únicos limites não são de ordem espiritual, é claro, e, ainda menos, corporal.
Esses limites situam-se apenas no interior e, sempre, da personalidade, que não se crê digna, que duvida, que, sem parar, coloca-se a questão.

O Casamento Místico põe fim a toda questão, porque ele lhes dá a viver, tanto aqui como em outros lugares, de toda a Eternidade, a Onda de Vida, que lhes dá a viver no Êxtase ou no Íntase permanente (quaisquer que sejam as circunstâncias desse corpo, quaisquer que sejam seus pensamentos, quaisquer que sejam seus reencontros).

Nada existe, tanto sobre esse mundo como em outros mundos, em toda Dimensão como na própria Fonte, de possibilidade de ser tirado desse estado, porque esse estado é irreversível, mas ele necessita de sair de todos os estados anteriores, de desidentificar-se de tudo ao que acreditaram, tudo o que esperaram, tudo ao que vocês levaram sua atenção.

O CRISTO os quer sós.
Ele os quer nus.

O Absoluto, esse Casamento faz, apenas, de fato, fecundar um no outro.
São as alegrias das Núpcias de Luz.
É o Reencontro com a Eternidade e o fim de todo efêmero.

Então, naquele momento, vocês estão totalmente livres de permanecer sobre esse mundo ou de partir, embora, frequentemente, o Absoluto tenha necessidade de Testemunhos e de depoimentos.

Então, cada um – de acordo com sua cultura, conforme seja homem ou mulher nessa carne – vai levar um destino que lhe é próprio, colorindo-o do que ele tem vontade de dizer, mas o que ele tem vontade de dizer não é, de modo algum, o reflexo de uma personalidade qualquer: será sempre o Absoluto que se exprimirá.
Isso poderá tomar uma conotação Crística, no Ocidente.
Poderá ser Krishna, no Oriente, ou o Absoluto, ou o Brahman.
Ou uma coloração específica, que é ligada a uma afinidade que reside na personalidade ou nas etapas de realização do Si.

Viver o Absoluto desengaja-os de tudo o que é ilusório, de todas as suas crenças – sem qualquer exceção – e, sobretudo, desengaja-os de tudo o que era o que vocês nomeiam conhecimentos e que os confinou, mais do que nunca, em sistemas espirituais, de crenças, de ilusões.
Vocês nada são de tudo isso.

O Casamento Místico vem liberá-los de tudo o que não é a Onda, de tudo o que não é o Absoluto.
Mesmo se vocês permaneçam nesse corpo, nesses pensamentos, vocês não são nem esses pensamentos, nem esse corpo, nem quem age porque é, efetivamente, a Onda, naquele momento, que toma posse de vocês, que age e que é a Vida através de vocês.

Nós todos vivemos essa alquimia final, esse Casamento Místico com o CRISTO.
Embora nós o tenhamos experimentado e, talvez, vivido com algumas tonalidades diferentes, nós fizemos apenas exprimir a mesma Verdade.

Então, se uma de nossas Irmãs índias fala do Grande Espírito, é claro, ela fala da mesma coisa, porque não há, em seu quadro de referência, imagem do CRISTO.
Não há vivência, em seu povo, em sua tradição ou em suas encarnações, necessariamente, de imagem do CRISTO.
E eu os lembro de que, além da própria história daquele a quem eu chamei JESUS, o Rei de Amor, em minha vida, além da história real que foi vivida, há a transcendência da história.
Essa transcendência da história não é, absolutamente, as diferentes etapas que viveu JESUS (incorporado pelo CRISTO ou tornado JESUS-CRISTO, ele mesmo), mas, bem além do sentido sagrado de Seu sacrifício, o derramamento de Seu sangue permitiu, de algum modo, a redenção coletiva da Terra (como o disseram algumas inteligências bem anteriores às nossas).

Esse tempo da Terra é preparado há extremamente muito tempo, desde o que foram chamados os Gigantes partiram desta Terra multidimensional e juraram, naquele momento, voltar para reparar os estragos de um tempo ilusório.

É a isso que vocês são convidados.
Esse Casamento Místico nada mais é do que seus próprios Reencontros, sua aliança consigo mesmos, para além de toda ilusão, para além de todo Eu, para além de todo sofrimento e de toda alegria.

Viver o Indizível necessita de estar inteiramente nesse Absoluto, fundir-se n’Ele, tornar-se Ele.
A ação d’Ele é a ação do Manto Azul da Graça, é o desaparecimento de toda Atração, de toda Visão.
É o desaparecimento de tudo o que podia seduzi-los nesse mundo, mesmo se vocês ali permaneçam e residam.
Vocês não são, contudo e necessariamente, alguém que se retira do mundo a uma caverna, como os eremitas do início do cristianismo.
Mas, aí, onde quer que vocês estejam, vocês são o que vocês São.

Não há qualquer circunstância mais penosa ou mais leve.
Toda circunstância é acolhida do mesmo modo porque, nesse Casamento Místico, que vive a Onda da Graça, a Onda de Vida, vocês estão conscientes e totalmente lúcidos sobre o que vive cada ser.
Vocês veem para além da aparência, para além da alma.
Vocês não estão mais localizados nesse corpo, vocês não estão mais, tampouco, deslocalizados, vocês podem estar em todo lugar ao mesmo tempo.

O conjunto do que foram chamados os estigmas místicos pode manifestar-se.
A bilocação é, para vocês, um ato totalmente natural, seja nessa Dimensão ou nas outras Dimensões, o que quer dizer que, através desse Casamento Místico, vocês perdem todo limite e toda limitação.
Vocês se tornam, real e concretamente, o Absoluto, e o Absoluto não tem qualquer limite, nem de forma, nem de corpo, nem do que quer que seja.
Vocês percorrem, então, os mundos, totalmente Livres, ao mesmo tempo estando conscientes e lúcidos desse corpo, ao mesmo tempo estando conscientes e lúcidos do que vocês vivem, do que vocês fazem.
Mas vocês sabem, pertinentemente, que vocês nada são de tudo isso.

Então, viver a união com o CRISTO, com o Absoluto é desviar-se, sem rejeição e sem qualquer condição, de tudo o que é da natureza do efêmero.
O que é da natureza do efêmero?
Seu nascimento sobre esse mundo, que terminará, inevitavelmente, por uma morte, o fim de seus pensamentos, o fim desse corpo, o fim de suas emoções, de seus amores, de seus ódios e, sobretudo, o não retorno na ilusão, superando as leis de ação e de reação, penetrando, então, diretamente, a lei de Ação de Graça, não mais, unicamente, pelo Fogo do Coração (que é o Testemunho de seu Despertar e de seu Acordar), mas, efetivamente, por esse Casamento Místico.

Vocês traduzem, em sua vivência, o que vocês são, em Verdade: esse Absoluto que passeia, em liberdade total, tanto nesse corpo como em qualquer outro corpo.

Quando desse Casamento Místico, vocês podem fusionar com qualquer consciência, seja a consciência de um pedregulho, seja a consciência de um Sol.
Vocês não conhecem mais limite, e isso os faz apreender que vocês, estritamente, nada são, sobre esse mundo.

Nessa condição, nessa Humildade, essa Simplicidade Final corresponde a Verdade do Absoluto que vocês São.

Eu repito: o único pecado é não ser Absoluto.
Não há outro.
Todo o resto são apenas jogos, jogos de personalidade, jogos do ego, jogos de papéis, se preferem.

Alguns jogos são mais alegres do que outros.
Alguns lugares podem parecer mais privilegiados do que outros.
Não é nada disso.
Tudo isso são apenas jogos ilusórios.
Tudo isso são apenas pretextos.
Tudo isso são apenas o efêmero que apenas pode ser varrido, porque representa a Eternidade, porque representa o Absoluto e esse Casamento Místico com o CRISTO.

O Manto Azul da Graça convida-os, permanentemente, a cada minuto – e não unicamente às quintas-feiras (ndr: ver a rubrica «Protocolos ou Acompanhamentos / Acolhimento do Manto Azul da Graça») – a viver essa Onda de Vida, essa Onda de Graça.
Nada mais será similar, a partir do instante em que vocês tiverem vivido a primeira Onda de Êxtase, o primeiro Gozo Místico, total, de seus Reencontros consigo mesmos, no que vocês São no Absoluto.

Então, vocês realizarão o que há a realizar nesse mundo.
Mas vocês não serão o que realizam.
Vocês estarão totalmente desapegados do fruto de suas ações, porque todas as suas ações serão empreendidas sob a regência, se se pode dizer, do Rei de Amor (como vocês o nomeiam hoje), sob a regência da Onda de Vida, a Onda da Graça.

A Graça, a Ação de Graça dispensa-os, totalmente, de viver qualquer ação e reação.
Algumas experiências poderão ser efetuadas, elas permanecerão, contudo, apenas experiências do Absoluto no limitado.
Quer vocês cessem de comer, quer vocês cessem de respirar, de ver, qualquer que seja o estado desse corpo, na medida em que vocês não estiverem mais, de modo algum, identificados a esse corpo, vocês terão se tornado o Absoluto, e não dependerão de qualquer limite desse corpo.

Isso necessita da maior das humildades.
Isso necessita de fazer calar (na pessoa, na personalidade, no ego, ou no Si que vocês Despertaram) toda dúvida, todo medo.

O Abandono, como dizia o Arcanjo ANAEL, desta vez, é uma doação total do Si ao Absoluto.
Esse ato de confiança é, realmente, o que lhes resta efetuar.

Então, é claro, como saber?
Não há que saber.
É muito simples: a Onda de Vida percorre o que vocês são, ou a Onda de Vida não está presente.
Isso é totalmente independente, como o disseram e repetiram os Arcanjos, de todo papel de função de Ancorador, de Semeador de Luz (que é um trabalho magnífico que inúmeros de vocês realizaram e que permite, justamente, esse Manto Azul da Graça).

Eu posso, mesmo, dizer que, em alguns casos, muitos de vocês tinham necessidade de estar fortemente enraizados nesse mundo, para enraizar a Luz.
Mas, hoje, a Graça convida-os a superar esse enraizamento, a superar esses limites que vocês se criaram para esse papel e essa função, porque vocês não são nem esse papel nem essa função.
Vocês são, unicamente, esse Absoluto.

O único pecado é o de desviar-se do que lhes é dado: vocês mesmos.
Nada há a fazer, não há qualquer limite de qualquer espécie.

A Luz é Inteligência, isso vocês já sabem, isso lhes foi repetido em numerosas reprises.
Mas, além da Inteligência da Luz, há a Luz que vocês São, e isso, é a Inteligência Absoluta, uma vez que ela é Absoluta.
Não existe qualquer limite nesse Absoluto.
Se vocês vivem isso, se vocês deixam a Onda de Vida crescer em vocês e manifestar-se em cada ponto do corpo, nada mais poderá ser como antes.
Quer vocês estejam mortos para esse mundo, quer estejam vivos para esse mundo, quer estejam aqui e em outros lugares, tanto no Sol como em todo ser vivo, vocês são, também, cada ser vivo que reencontram.
Isso não é uma projeção, um desejo, mas é a estrita Verdade.

E, é claro, nesse estado de Absoluto, vocês podem apenas esperar, porque vocês são a própria paciência.
Não pode existir qualquer julgamento, porque vocês sabem que o que vocês poderiam julgar, naquele momento, é apenas você mesmo, que recairia na limitação.
Mas isso é impossível, porque a Graça mística é algo que é sem retorno.

Não pode haver o mínimo retrocesso.
Não pode existir a mínima flutuação – função de seus humores, de seus reencontros – porque vocês não estão mais, eu os lembro, localizados nesse corpo.
Vocês podem, naquele momento, fusionar com o Sol.
Vocês podem ir ver um amigo, onde quer que ele esteja sobre esta Dimensão ou em outras dimensões, casar-se com o CRISTO, mas vocês se casam, é claro, com o conjunto do Absoluto, o conjunto de parcelas, o conjunto de fragmentos que são, eles também, tão absolutos quanto vocês, mesmo se eles o ignorem, de momento, porque a dúvida e o medo, porque as experiências que eles decidiram efetuar cabe a eles (eles se pertencem, ainda, efetivamente).
Eles não entregaram todo sentido do pertencimento a esse Absoluto.
Eles não se casaram misticamente.
Essa é a escolha deles e é necessário respeitá-la, porque vocês são Livres, inteiramente, e essa Liberdade nada tem a ver com a lei do livre arbítrio.
Essa Liberdade é a de saber que, para além de todo tempo, de todo espaço, de toda Dimensão, de toda experiência, existe algo que é da ordem do indizível, que é da ordem do infinito, que é da ordem do efêmero, que é transfigurado onde o efêmero não tem mais qualquer lugar.

Esse Absoluto, essa Eternidade, essa Onda de Vida. Essa Graça Mística, esse Casamento Místico é, verdadeiramente, ao que vocês são chamados.
Vocês o são, Chamados, porque é sua natureza.
Não pode ser de outro modo.

Esse Absoluto sempre esteve aí.
Ele não está distante de vocês, ele não está separado de vocês.
É, simplesmente, a parte de vocês que se crê separada e distante que o manifesta, essa distância e essa separação.
Mas, em definitivo, ela não existe.

Então, se vocês escolhem – ou se lhes aparece, além de toda visão – uma representação (seja ela oriunda de seu modelo religioso, seja ela um Absoluto desprovido de qualquer forma), case-se.
Aceitem essa Liberdade, porque é o que vocês São.
Nada há mais do que isso.
Vocês são apenas isso, e é a totalidade do que é a Eternidade, a totalidade do que é o Absoluto.

O Casamento Místico é algo que vai dar-lhes a viver esse Êxtase permanente, esse gozo permanente da alma e do Espírito, que são transportados para além dos sentidos desse corpo, nessa união.

Essa união de Liberdade.
Essa união de Graça, na qual nada mais tem importância.
De fato, o que é importante, se não é esse Absoluto?

Então, todo o resto (o transitório, o efêmero), vocês o percorrem com bondade, com Amor, porque vocês nada são de tudo isso.
Vocês já estão em outros lugares.
Mas esse outro lugar não é a fuga do tempo presente, é a instalação no verdadeiro presente, aquele que está além da presença, aquele que está além de todo limite, de toda contingência, de todo medo, de toda dúvida.

O efêmero é repleto disso, vocês sabem.
Nós todos o experimentamos.
Mas o dia em que a Onda Mística apreende-os, o dia em que vocês se Casam, misticamente, o que pode permanecer como questão?
O que pode permanecer como dúvida?
O que pode permanecer como zona de sombra?
O que pode permanecer como sentido, mesmo, de qualquer interrogação?

Vocês são livres, totalmente.
No Casamento Místico, vocês percorrem as Dimensões, percorrem os corpos e dançam nesse corpo, como em todos os corpos, porque vocês são o conjunto dos corpos, vocês são o corpo místico do CRISTO, inteiramente, mesmo se os outros não o saibam, mesmo se os outros se desviaram, de momento, dessa Verdade Absoluta, vocês têm, vocês, a possibilidade de comungar a eles.

Então, nessa Indizível Graça, podem rolar no canto de seus olhos, como eu o fiz em minha vida, lágrimas.
Essas lágrimas não são nem de alegria, nem de tristeza.
São lágrimas de cristal e de diamante do Absoluto que, aliás, em minha vida, transformavam-se em verdadeiros diamantes.

Hoje, vocês têm, todos, sem qualquer exceção, a possibilidade de ser essa ausência total de efêmero.
O que os impede?
Não há qualquer barreira, não há qualquer desvio, qualquer condição.
Percebam isso.

O que eu lhes digo, hoje, é extremamente simples.
O que fez dizer a alguns Anciões, como a algumas Estrelas, que vocês são o Absoluto, que vocês são a Totalidade,
Não há desinteresse por esse corpo, não há desinteresse por essa vida, porque, mesmo se vocês estão casados, há filhos ou responsabilidades, vocês as realizam.
E, de qualquer modo, se não se realizam, qual importância?

A inteligência e a Graça da Luz encontrarão, sempre, o que é necessário para que o Absoluto esteja presente e testemunhe.

Então, qual é esse testemunho?
Ele não está no discurso ou em qualquer necessidade de reconhecimento do que quer que seja.
Vocês se reconheceram a si mesmos, então, que lhes importam aqueles que não se reconhecem a eles mesmos?
Simplesmente, vocês, vocês os reconheceram.
E só isso é importante, porque vocês veem, neles, o que eles são, para além de qualquer visão: outra parcela de vocês mesmos, não numa adesão a qualquer crença, mas na Verdade real, direta e total do que vocês vivem.

Vocês rejeitaram para longe de vocês toda projeção chamada conhecimento.
Vocês não têm necessidade de qualquer teologia.
Vocês não têm necessidade de qualquer modelo religioso, porque o que vai sair de vocês, naquele momento, pode apenas traduzir, sem ser colorido por qualquer pessoa, qualquer personalidade, as próprias palavras do Indizível Absoluto.

Essa Onda Mística, esse Casamento Místico que se escoa através de vocês, os faz viver esse estado além de todo estado, e permite-lhes, portanto, testemunhar, além de toda palavra porque, quer isso seja uma palavra, quer seja um olhar, quer seja, simplesmente, uma atenção levada, vocês sabem (sem qualquer projeção, sem qualquer vontade, sem qualquer desejo), que o Absoluto é vocês e que, nesse Absoluto, o Absoluto concorda com tudo o que sai do limitado, a fim de considerar-se como Absoluto, porque é o que ele é, em Verdade.

Aí está ao que os chama o Manto Azul da Graça.
Ele lhes dá a viver esses instantes de esquecimento de si, total.

Então, há premissas, é claro.
Há esses momentos em que vocês parecem partir ou dormir.
Esses momentos em que vocês vibram intensamente ou, então, esses momentos em que não há mais qualquer Vibração.
Ou, então, em outros momentos, o som de seus ouvidos torna-se tão amplo que faz como eco ou, então, ele desaparece, completamente, ou, então, vocês não sabem mais quem vocês são.

A partir desse instante, assim que vocês perdem todo marcador de quem vocês são, saibam que a Onda do Êxtase, a Onda de Vida chama-os a viver isso.

Então, quer isso passe pelo CRISTO, quer passe por um fio de erva, quer passe pelo Sol, quer passe por um Irmão ou uma Irmã ou por uma assembleia de Irmãos e de Irmãs, qual importância, uma vez que o resultado é sempre o mesmo, é: vocês são o Absoluto.
Vocês são apenas isso.
E, naquele momento, vocês têm apenas um pensamento, apenas uma ação, o que quer que façam: o único pensamento que é no que vocês São, mesmo nesse limitado que reside sobre a Terra, é esse Absoluto, esse Gozo Entusiástico permanente que percorre o conjunto de seu corpo.
Nada mais há do que isso, porque vocês são isso.
Todo o resto pertence apenas ao efêmero.
Todo o resto pertence apenas às ilusões que foram efetuadas, às experiências.

Vocês são a soma de todas as experiências, portanto, vocês não são uma experiência, vocês não são, tampouco, um estado.
Vocês são o CRISTO.
Vocês são KI-RIS-TI, o Filho Ardente do Sol.
Vocês são a Luz.
Vocês são a Graça.
Como poderia ser outra coisa que não essa Verdade?
Como é que a vida poderia existir, mesmo aqui, sobre esse mundo, se ela não fosse alimentada por essa Verdade, sustentada pela Verdade?

Hoje, a Graça chama-os a transportar-se, a si mesmos.
Esse transporte – que é esse Casamento e essa União Mística – leva-os à Verdade.
Para isso, tudo deve ser enterrado, não como a vontade de enterrar sua vida, mas, efetivamente, desviar-se – não como uma recusa, não como uma rejeição – desse efêmero.
Vocês não são nem esse corpo, isso, os Anciões e os Arcanjos repetiram, desde numerosas semanas.
Vocês são esse Manto Azul da Graça.
Vocês não são nem uma Estrela, vocês não são uma Porta, vocês não são esse corpo, vocês não são o que acreditava evoluir, vocês não são o que acreditava transformar-se.
Vocês são o Absoluto, vocês são apenas isso.

Deem-se conta, deem-se à Graça, porque é o que vocês são.
Nada mais há que não a Graça, o Amor.
O Amor e a Luz, mas, é claro, não de acordo com suas acepções encarnadas e encarnantes, mas o que sustenta, mesmo, a existência de toda a vida, de toda consciência, de toda Dimensão.

Vocês são isso, vocês: a Graça.
E vocês são a doação da Graça a si mesmos.
O único pecado é não reconhecer isso.
Todo o resto pertence apenas ao efêmero.
Todo o resto pertence apenas às ilusões, aos sofrimentos, aos medos, às dúvidas, aos amores conquistados ou vencidos, que pertencem apenas a esse mundo, apenas a essa experiência.

Mas vocês são além de toda experiência.
Vocês são além de todo estado.
Vocês são a Eternidade.
Vocês são o Absoluto.
Vocês são KI-RIS-TI.
Vocês são sem forma.
Vocês são além do «Eu sou».
Vocês são além do «Eu sou Um».
Vocês são além do Ser.
Vocês são o que sustenta e manifesta a Verdade.
Vocês são Absolutos.

Então, não façam de minhas palavras uma verdade exterior ou uma adesão ou uma crença, mas vivam-nas. No mais profundo dessa carne, que vive sua transfiguração.
Deixem a Onda de Vida que levam minhas palavras preenchê-los, preenchê-los do que vocês são, de todos os tempos, de toda a Eternidade, de toda a vida.

É claro, enquanto a Onda de Vida não os percorreu, inteiramente, podem existir hesitações, porque esse nada, esse vazio, esse Absoluto (ou, em todo caso, conforme o olhar da personalidade, do efêmero) é tão vasto, tão imenso, tão improvável e impossível que, mesmo o Si, não ousa esperar, não ousa vivê-lo, mesmo.
E, no entanto, esse Absoluto que transcende todos os Si, todas as experiências, todos os estados é, realmente, sua essência, sua natureza.

A única separação consiste em duvidar disso.
O único sofrimento consiste em ter medo disso.

Vocês são Sagrados, porque são o próprio Sacramento, aquele do Casamento Místico, aquele da União ao Absoluto.
Mergulhem em sua natureza.
Mergulhem nessa Felicidade Absoluta.

O Manto Azul da Graça é o último convite, para vocês, para viver o que vocês São, o que jamais deixaram de Ser.

Então, é claro, eu poderia detalhar, de maneira muito clara, o que eu vivi.
Inúmeras coisas foram escritas.
Mas eu tenho, sobretudo, que testemunhar esse Absoluto, esse CRISTO, esse Amor que queima e que, no entanto, não queima.
Esse Amor, que é preenchido a cada minuto e, no entanto, não preenche.
Esse Amor que se volta a pedir a cada instante e que, a cada instante, é sempre mais, sempre maior, sempre mais vasto, sempre mais intenso.

Como as palavras são frágeis.
Apenas a Onda de Vida pode traduzir-lhes, com exatidão, o que isso É, porque é isso que vocês São, inteiramente.

Aí está o que, como Estrela KI-RIS-TI, eu tinha a dizer-lhes, de meu ponto de vista, para além de qualquer pessoa que eu encarnei.
Nesse princípio Vibratório KI-RIS-TI, do que é a Onda de Vida, esse Casamento Místico, nada recusem, exceto o limitado.

Recusem todos os limites.
Olhem-nos, examinem-nos e rejeitem para longe de vocês o que não é a Verdade Absoluta, Eterna e Indestrutível.
Mesmo o que lhes parecia, nesse caminho espiritual, como objeto de toda atenção (a alma, suas colorações, suas polaridades, suas atrações) deve ser queimado no Fogo do Amor.
O Espírito deve ser restituído ao Pai, que nada mais é do que você mesmo.

Então, naquele momento, o Casamento Místico, a Onda de Vida leva-os e transporta-os.
A transverberação vem tomar o lugar da Crucificação.
O olhar do ego – que nomeava a isso Crucificação – torna-se o olhar do Absoluto e, aí, a transverberação dá a viver o Verbo.
O Verbo, realmente, fez-se carne, e a carne tornou-se o Verbo, para além de toda carne e de todo Verbo.
Vocês são isso.

Então, que dizer-lhes mais?
Deixem a Onda, deixem a Onda agir, porque vocês São essa Onda.
Vocês são esse Absoluto.
É claro, nos primeiros tempos, há, como dizia nosso Comandante (Ndr: O.M. AÏVANHOV), uma retração ou uma retratação da alma, porque a alma tem muito medo de desaparecer.
Tudo o que é efêmero tem medo de desaparecer.
A única coisa que não tem medo, jamais, de desaparecer é o que é Eterno, ou seja, além daquele que joga a observar-se, além do Testemunho, além daquele que diz «eu», além daquele que vive Si e que vive o Samadhi, há o Absoluto, esse Indizível Absoluto, essa Onda de Felicidade, que se torna sua natureza, que jamais deixou de ser.

Aí está o que é tornar-se esse Filho Ardente do Sol.
É não mais ser, unicamente, esse braseiro ardente do Coração, esse Amor encarnado e transfixiante.
É viver a transverberação.
É viver a Graça, inteiramente,
Essa Graça que percorre cada célula, cada átomo de seu corpo, cada parcela do ilusório e transforma-os em Absoluto: o que vocês são, de fato, de toda a Eternidade.

Aí está, minhas Irmãs e meus Irmãos, o que eu tinha a dizer.

Irmãs e Irmãos, eu terminarei, então, por essas palavras: KI-RIS-TI, ao nível das Estrelas e o Triângulo da Terra é a fecundação do Verbo na carne.
É, também, a Porta Estreita à qual estou religada: o ponto OD, a Porta OD.
É, também, o que figura esse sacrum, esse osso sagrado, ponta embaixo, que deve reverter-se, conduzindo-os a por no bom sentido, se se pode dizê-lo, o que é a Graça, o que é o Absoluto, a única Verdade, a única Eternidade.
Esse Triângulo da Terra, do qual um dos Melquisedeques falou-lhes, como Melquisedeque da Terra (aquele que foi nomeado Mestre PHILIPPE DE LYON), que tanto exprimiu sobre sua ligação eterna com o CRISTO.

Esse Casamento Místico, do qual ele tinha consciência (fato extremamente raro, desde seu nascimento), fez dele um dos porta-vozes do CRISTO.
Mas vocês são, todos, porta-vozes do CRISTO, porque têm, todos, no embrião e na Eternidade, essa Verdade do Verbo.
Esse Verbo que é Onda de Vida, a Onda da Graça e esse Casamento Místico.

Então, vocês são, todos, convidados a esse banquete celeste e terrestre.
Essas Núpcias de Alegria e de Luz que são seus próprios Reencontros.
Vocês são o Absoluto.
Vocês são a Paz.
Nada há a procurar.
Nada há a descobrir.
Há apenas a Ser, além do ser.
Há apenas a entrar na Eternidade.

Minhas Irmãs e meus Irmãos, eu lhes proponho, por minha vez, essa Comunhão no Manto Azul da Graça.

... Efusão Vibratória / Comunhão...

Vocês são o Amor.
Eu nos amo.

Até breve.

___________________
Compartilhamos estas informações em toda transparência. Obrigado por fazer do mesmo modo. Se você deseja divulgá-las, reproduza a integralidade do texto e cite sua fonte: www.autresdimensions.com.

4 comentários:

  1. Hoje, sobre esta Terra, o Manto Azul da Graça convida-os, a todos, sem exceção <> O importante, se o desejam, é renunciar a qualquer outra coisa que não o que representa esse Casamento Místico <> O CRISTO os quer sós. Ele os quer nus <> Esse Casamento Místico nada mais é do que seus próprios Reencontros, sua aliança consigo mesmos, para além de toda ilusão, para além de todo Eu, para além de todo sofrimento e de toda alegria <> Viver o Indizível necessita de estar inteiramente nesse Absoluto, fundir-se n’Ele, tornar-se Ele <> Nessa condição, nessa Humildade, essa Simplicidade Final corresponde a Verdade do Absoluto que vocês São <> O único pecado é não ser Absoluto. Não há outro. Todo o resto são apenas jogos, jogos de personalidade, jogos do ego, jogos de papéis, se preferem <> O Abandono, como dizia o Arcanjo ANAEL, desta vez, é uma doação total do Si ao Absoluto <> É, simplesmente, a parte de vocês que se crê separada e distante que o manifesta, essa distância e essa separação. Mas, em definitivo, ela não existe <> Hoje, vocês têm, todos, sem qualquer exceção, a possibilidade de ser essa ausência total de efêmero.

    ResponderExcluir
  2. "Hoje, a Graça chama-os a transportar-se, asi mesmos. Esse transporte - que é esse Casamento e essa União Mística - leva-os à Verdade. Vocês são o Absoluto, vocês são apenas isso.
    "Esse Casamento Místico - que é a doação da Graça - está aberto a cada um. É o Reencontro, um Reencontro, último, consigo mesmo. ...Sua aliança consigo mesmo, para além de toda ilusão, para além de todo Eu. ...É o Reencontro com a Eternidade e o fim de todo efêmero.
    "Vocês são Sagrados, porque são o próprio Sacramento, aquele do Casamento Místico, aquele da União ao Absoluto. Mergulhem em sua natureza. Mergulhem nessa Felicidade Absoluta.
    "O Espírito deve ser restituído ao Pai, que nada mais é do que você mesmo.
    "Então, naquele momento, o Casamento Místico, a Onda de Vida leva-os e transporta-os. A Transverberação vem tomar o lugar da Crucificação. O olhar do ego - que nomeava a isso crucificação - torna-se o olhar do Absoluto e, aí, a Transverberação dá a viver o Verbo. O Verbo, realmente, fez-se carne, e a carne tornou-se o Verbo, para além de toda carne e de todo Verbo. Vocês são isso.
    "Aí está o que é tornar-se esse Filho Ardente do Sol. ...É viver a Transverberação. É viver a Graça, inteiramente. Essa Graça que percorre cada célula, cada átomo de seu corpo, cada parcela do ilusório e transforma-os em Absoluto: o que vocês são de fato, de toda a Eternidade.
    "KI-RIS-TI é a fecundação do Verbo na carne.
    "Vocês são, todos, porta vozes do CRISTO, porque têm, todos, no embrião e na Eternidade, essa Verdade do Verbo. Esse Verbo que é Onda de Vida, a Onda da Graça e esse Casamento Místico.
    "Então, vocês são, todos, convidados a esse Banquete Celeste e Terrestre. Essas Núpcias de Alegria e de Luz que são seus próprios Reencontros.
    "Vocês são o Absoluto. Vocês são a Paz. Nada há a procurar. Nada há a descobrir. Há apenas a Ser, além do Ser. Há apenas a entrar na Eternidade."

    "Vocês são a Luz. Vocês são a Graça. Vocês são o CRISTO."

    "Vocês são KI-RIS-TI, o Filho Ardente do Sol."

    Irmãos, vibremos no KI-RIS-TI.

    ResponderExcluir
  3. Oi Celia. Seria possivel voce me dar mais informacoes sobre quem sao os canalizadores responsaveis por todas as mensagens do site autres dimensons? Como eu nao entendo o frances, e impossivel para mim. Gostaria de saber quem sao e como comecaram este trabalho? desde ja muito obrigada. Um abraco, Kathia Carpenter

    ResponderExcluir
  4. Kathia,
    Sua resposta está no post MENSAGENS DE MARÇO.

    ResponderExcluir