Seguidores

SE VOCÊ COMPARTILHAR ALGUMA MENSAGEM DESTE BLOG, FAVOR REPRODUZI-LA EM SUA INTEGRALIDADE, CITANDO A FONTE OU INDICANDO O LINK DA MESMA.

17 de mar de 2012

O.M. AÏVANHOV – 17 de março de 2012

Mensagem publicada em 18 de março, pelo site AUTRES DIMENSIONS.


Bem, caros amigos, estou extremamente contente por reencontrá-los.
Permitam-me aportar-lhes todas as minhas bênçãos e toda a Graça.

Então, caros amigos, caros Irmãos, caras Irmãs, é claro, eu lhes dou a palavra e vamos tentar avançar, juntos, em relação a tudo o que vocês têm a perguntar-me.

Questão: é necessário ter vivido todas as etapas da Luz Vibral para viver a Onda de Vida?

Não.
Foi o que nós dissemos, cara amiga, há muito pouco tempo: que havia seres que seguiam o que acontecia sobre a Terra, seja através de nós ou de maneira completamente diferente, espontaneamente (através de uma EQM – experiência de quase morte – ou de outros tipos de experiências místicas ou espirituais), e que foram levadas a vivê-la.
Através, talvez, de ensinamentos que foram dados, do tempo de nossa vida: sejam, por exemplo, os ensinamentos do Yoga Integral de SRI AUROBINDO, seja, ainda, em relação às leituras que vocês podem fazer sobre o que disse UM AMIGO, ou outros, ainda, que se exprimiram, como IRMÃO K, da vida deles, ou todos esses Mestres que foram, realmente, encarnados, que deixaram, se querem, certo número de marcadores que – mesmo se eles não soubessem, à época, alguns deles – iam preparar, muito exatamente, o que acontece há alguns anos.

Portanto, se querem, é importante deixar exprimirem-se esses Mestres que estiveram encarnados para que pudessem dar elementos.
Justamente, isso será respondido.

Mas foi, muito claramente, dito que o papel da Ancoragem da Luz, de Semeadores de Luz permitiu o que representa o que vocês realizaram, ou seja, ancorar a Luz na Terra, porque a Transmutação – o Supramental, como dizia o bem amado SRI AUROBINDO – era encarnar essa Luz, vê-la, percebê-la, vivê-la, senti-la.
E, talvez, depois, transcender essa matéria – como dizem os Arcanjos, essa carne – para Ascensionar essa carne às Moradas da Eternidade.

Hoje, é um pouquinho diferente porque, há seis ou sete semanas, o Manto da Graça – retransmitido, como vocês sabem, por algumas Estrelas e pelo Senhor METATRON – permite abri-los à Onda de Vida, a Onda do Éter.

Eu falei, há vários anos, de raízes Intraterrestres ou da energia que vinha do Núcleo da Terra, e que era, à época, incognoscível, não vivível.
Hoje, vocês são cada vez mais numerosos (e mesmo entre as pessoas que jamais ouviram falar do que quer que fosse) a viver essas espécies de ondas de Vida (como eles chamaram isso), esse estremecimento, que sobem.
Não é mais uma energia que desce (como o Supramental, a Shakti, se querem), é algo que sobe, mas que sobe não unicamente como o Kundalini, não é?
Isso sobe de muito mais baixo: isso vem da Terra, isso os atravessa e isso sobe.

A Onda de Vida, todo ser humano vai vivê-la, porque isso faz parte do processo alquímico final da Transformação.
É o Reencontro entre o Eterno Masculino e o Eterno Feminino.
É o retorno à Androginia Primordial.
Portanto, não é mais um papel de descida da energia, mas é um papel de subida de uma seiva nova (no corpo, na consciência, na alma, no Espírito), que os faz descobrir (como foi dito), progressivamente, qual é sua própria natureza: esse Amor que sustenta – mesmo na ilusão – a Criação.

Nada mais há que o Amor.
Eu dizia, em minha vida, que o Amor é a maior das forças.
Então, é claro, como era desconhecido, podia-se apenas projetar o Amor.
Podia-se apenas imaginá-lo.
Exceto aqueles entre, justamente aqueles que foram chamados, pomposamente, de Mestres encarnados, porque eles haviam reencontrado a Luz, cada um de acordo com uma especificidade diferente.

Irmão K não reencontrou a Luz do mesmo modo que UM AMIGO.
UM AMIGO não reencontrou a Luz do mesmo modo que eu.
Nós não tínhamos a mesma cultura, não tínhamos as mesmas crenças, efetivamente.
Mas o ponto comum era, de algum modo, esse famoso Reencontro – mesmo se não empregássemos essas palavras – com a Luz.
E toda nossa vida, que decorreu em seguida, foi tentar – o melhor que podíamos, à época – transmitir, é claro, esse intransmissível.
Porque – como dizia Irmão K – pode-se falar-lhes, durante milhares de anos, da Onda da Graça, podem-se empregar milhares de palavras ou fazer como os Arcanjos (como, há não muito tempo, URIEL ou RAFAEL): fazer Vibrar, em vocês, bem além das palavras, o que é essa Onda de Vida, mas isso não pode substituir sua vivência.

Mas nós pensamos, hoje (do mesmo modo que as Estrelas, há algum tempo, testemunharam sobre seu Abandono à Luz, sua Vivência da Unidade), testemunhando, nós, por nossa vez, sobre o que aconteceu para nós, independentemente dos caminhos que tomamos depois, permitir-lhes, justamente, apreender o que representa essa Onda de Vida.
Sobretudo, para vivê-la, não para compreendê-la porque, como dizia o Arcanjo ANAEL, há ainda poucos dias, vocês não podem compreender o que vocês São: isso pode apenas viver-se.

Assim que vocês queiram compreender, vocês põem palavras.
Assim que vocês querem explicar, vocês saem do estado de Ser, justamente, da Onda de Vida.
É incomunicável por palavras.
É incomunicável por conceitos.
É incomunicável, mesmo se há etapas, efetivamente, preliminares, como dizia UM AMIGO.

O fato de ter-lhes dado o Yoga da Unidade, o Yoga da Verdade são elementos que vão, como nós dissemos também, diverti-los, ou seja, distrair, de algum modo, o ego (não vejam aí, tampouco, noção pejorativa).
É preciso ocupar o ego a fazer outra coisa que não girar, assim, em si mesmo, de modo comum.
Portanto, são estratégias, se querem, que vão levar o ego, pouco a pouco, a soltar o frasco que tem os amendoins, como eu disse.
Em seguida, talvez, aceitar ver as Sombras.
Em seguida, colocá-las sob o tapete.
Em seguida, retirar o tapete.
E, para aperceber-se, em definitivo, que tudo isso era uma farsa.

Mas o ego adora desempenhar papéis e funções.
É normal.
Portanto, não havia outra estratégia ia permitir, para o conjunto da humanidade, realizar o que SRI AUROBINDO havia dito, ou seja, a descida do Supramental.

Há, hoje, muitos seres humanos, nos caminhos espirituais, que leram, por exemplo, sobre o Supramental.
Mas vocês não podem viver o Supramental compreendendo, intelectualmente, o que é o Supramental.
Há uma etapa indispensável, que é o Abandono: o Abandono à Luz e, em seguida, o Abandono do próprio Si.

Portanto, se vocês não sabem o que é o Si, se seu ego não contemplou a Luz, como vocês querem soltar algo que vocês não sabem mesmo ter?
Hoje, é diferente.
Isso corresponde ao que havia dito o CRISTO: «os primeiros serão os últimos; os últimos serão os primeiros».

Hoje, há seres que vão viver essa Onda de Vida e, portanto, a consequência é o Casamento Místico, que faz transcender toda carne, que faz Ascensionar toda carne.
Se querem, é um processo extremamente dinâmico e que é lógico, porque a Luz é lógica.
Não é não importa o que: ela é Inteligência, nós sempre dissemos isso.

A Onda de Vida é o que vai levá-los – após terem acolhido os movimentos descendentes dessa energia da Shakti - a viver o movimento ascendente, que não é, simplesmente, a energia do Kundalini (tal como era descrito nos textos), mas, verdadeiramente, algo que sobe.
É a Liberação do Núcleo da Terra que permite isso.
E isso o permite, para o conjunto da humanidade.

Como eu o disse (e eu o repeti, em palavras veladas, mas, agora, pode-se dizê-lo), vocês permitiram (e nós permitimos, todos juntos, porque nós somos UM) limitar, de modo extremamente importante, todas essas coisas, todas essas farsas do ego que deviam passar pelo sofrimento, pela violência, pela guerra, por todas essas coisas que eram anunciadas pelos profetas.
Porque o trabalho de conscientização da Luz, o trabalho de descoberta de vivência do Si e, depois, agora, a Onda de vida, vem, de algum modo, realizar a Graça.

E, portanto, na Graça, o que acontece?
A ação/reação, que pertence à personalidade, não existe mais: vocês são vocês mesmos.
Vocês se colocam, vocês mesmos, ou sob a influência da personalidade e do ego (portanto, na ação/reação), ou na Ação de Graça.
E, se vocês estão na Ação de Graça, não há qualquer razão para que a ação/reação provoque o que quer que seja que pertença à ação/reação (ou seja, em especial, o sofrimento).

A Onda de Vida tira-os, definitivamente (como foi dito, não há caminho possível de volta), de todas as ilusões.
Vocês vivem o que vocês São, no Si como no Absoluto.
Vocês realizam a Unidade, não como um conceito ao qual vão aderir, não como ensinamentos, por exemplo, antigos, de todos aqueles que são os movimentos Unitários, seja o Advaita Vedanta, seja o Mani, seja Ahura Mazdao, sejam todos esses movimentos específicos, antigos, e mesmo entre algumas tradições ditas xamânicas, autênticas, primitivas, que vêm, verdadeiramente, de muito longe.

Hoje, vocês não têm, de qualquer modo, mais necessidade dessas etapas, porque o Reino dos Céus está se descobrindo, em vocês.
Portanto, efetivamente, vocês não são mais obrigados, hoje, a passar por todas essas etapas que passaram aqueles que seguiram os Casamentos Celestes.

A Doação da Graça à Graça – que é nossa natureza, de todos – está aberta a todo o mundo.
Para isso (e eu deixarei outros Melquisedeques exprimirem-se) vocês nada têm a rejeitar.
Enquanto vocês rejeitam a mínima humanidade em vocês, vocês não podem viver o Absoluto.
Enquanto vocês dizem algo em relação à humanidade, enquanto julgam, a vocês ou a quem quer que seja, a Onda de Vida não pode finalizar-se.

A finalização da Onda de Vida, mesmo se todo o mundo a sinta, o que é?
É o Casamento Místico.
É a União, como dizer..., do Yin e do Yang arquetípicos.
É a reunião, a Fusão Mística, real, desse gozo permanente do Reencontro do Eterno Feminino e do Eterno Masculino.
Quer vocês empreguem os termos de Yin e de Yang, quer seja entre dois homens, quer seja entre duas mulheres, quer seja entre você e um fio de erva é o mesmo princípio que se realiza.
É o que nossos amigos orientais chamam a União que realiza essa Androginia, portanto, esse Casamento Místico, que desencadeia, de algum modo, o Êxtase permanente, porque o Êxtase permanente, além dos Samadhi, é a natureza do que é toda a Vida.

Mesmo o ego que recusa isso, que diz que não é verdade, que refuta isso e que está em cólera, viverá, mais cedo ou mais tarde, porque isso faz parte do que já havíamos dito desde os anos 2005-2007 (antes dos Casamentos Celestes): a Liberação da Terra é a Liberação da humanidade.

É claro, como nós temos dito, há aqueles que não estão a par, que estão confinados.
Isso não é grave, hoje.
Basta que certo número de seres humanos tenha tomado consciência do confinamento, mas, sobretudo, não rejeite o que quer que seja e aceite viver a Luz (coisa que vocês fizeram, a maior parte de vocês aqui como em outros lugares).
Portanto, isso permitiu essa Ancoragem da Luz.

E, portanto, hoje, a Doação da Graça pode, realmente, colocá-los no caminho desse Casamento Místico, desse Absoluto do Final (como disseram alguns Anciões).

Mas vocês são Livres.
O que vocês vivem é o que vocês vivem.
O que vocês vivem é o que vocês São.
Não é preciso compreender esse Final como uma etapa (nós o dissemos).
Não é necessário compreender o Absoluto como uma recompensa porque, a partir do instante em que a Luz está aí, vocês são Liberados.
E, depois, aquele que não quer a Luz, é a Liberdade dele, a mais fundamental.
E vivendo o Último (se vocês o vivem) ou o Si, vocês vão compreender que nada têm a julgar.

Enquanto vocês emitem o mínimo julgamento sobre quem quer que seja que lhes fez o que quer que seja, eu, efetivamente, disse quem lhes fez o que quer que seja, é o ego que se exprime e não a Luz.

E, isso, vocês serão golpeados por essa frase, porque a Doação da Graça favorece e desencadeia o Casamento (ou não, o Casamento, de momento).
Vocês serão confrontados a isso.
Não é uma confrontação exterior, é uma confrontação interior.

Vocês não podem rejeitar seu ego dizendo-se: «eu não quero mais isso», porque aquilo a que vocês vão dizer não, vai reforçar-se.

Vocês estão na ação de Graça.
Mesmo se a Ação de Graça não lhes atravesse, toda a Terra vive-a, atualmente.
E vocês vão constatá-lo, cada vez mais rapidamente.

Então, é claro, a Ação de Graça, junto àqueles que estão confinados (em resistências, no medo, nas dúvidas), eles vão reagir em relação a isso, por vezes, violentamente.

Mas a Graça é muito importante.
A cada dia, a cada minuto vocês vão descobrir uma Graça cada vez mais importante.
Quaisquer que sejam as circunstâncias de sua vida, quaisquer que sejam as circunstâncias do grupo social no qual vocês estão, quaisquer que sejam as circunstâncias do país no qual vocês estão, a Graça vai aparecer.

Alguns Anciões testemunharão, aliás, a Chegada da Graça através do sofrimento.
Mas ninguém, hoje, é obrigado a passar pelo sofrimento.
É essa a grande mudança, e que é maravilhosa, se se pode dizê-lo, porque vocês entraram nos Tempos da Liberação, da Liberdade, tudo na suavidade, na condição imperativa e absoluta de que vocês não emitam o mínimo julgamento sobre quem quer que seja e o que quer que seja.
Porque, como vocês querem ser a Graça e portar um julgamento?
Como vocês querem ser a Graça, viver a Unidade, o Casamento com o Tudo se rejeitam uma parte desse Tudo, quer seja em vocês (em seu ego, na ilusão), quer seja no outro (o que quer que ele lhes tenha feito).
Porque, é claro, havia a lei de Talião: olho por olho, dente por dente.
E CRISTO disse: «se lhes dão um tapa, deem a outra face», porque o ego vai reagir,
Mas aquele que lhes dá o tapa é, certamente, aquele que lhes permitiu Despertar.
Portanto, agradeçam-no.
E rendam Graças pela ação dele, de resistência.
Rendam Graças por sua ação de oposição.
Não julguem.
Não o condenem.
E vocês verão que, naquele momento, o Casamento Místico tornar-se-á a evidência total do que vocês São, sem dúvida, sem questão, sem interrogação.

Lamento, eu me estendo, a cada vez, mas é importante.
Eu lhes dou a palavra.

Questão: você tem uma receita para ser humano sem julgar?
 
Sim.
Basta, já, realizar o Si, é uma primeira etapa.

O julgamento pertence ao mental.
Ele não pertence, mesmo, ao carma, nem a algo que seria mau no ser humano.
O mental é julgamento, por essência, porque ele confia na experiência, ele confia no conhecido (e isso foi explicado, longamente, através do Triângulo da falsificação).

Antes mesmo que vocês intervenham, de maneira consciente, seu cérebro, nosso cérebro já decidiu que é bem ou mal.
Antes mesmo que nós expressemos a mínima coisa.

Portanto, pode-se considerar que é uma forma de exercício porque, se vocês julgam, o que isso quer dizer?
Que são vocês que comandam no Interior de si mesmos ou que é o mental?
Vocês são identificados, como humanos, ao mental ou à sua humanidade?
O julgamento é uma ilusão, secretada e excretada pelo mental (que vai fazê-los julgar tudo e não importa o que, não unicamente os Irmãos e as Irmãs).

Vocês vão julgar como?
Na Dualidade: bem e mal.
Tudo isso terminou, está superado.
Treinem-se.

Então, vocês podem, como disse o Arcanjo ANAEL, melhor sentir a Onda da Vida da Graça, indo andar no orvalho da manhã.

Eu lhes digo, também: olhem, tentem passar um dia, um único dia, sem julgar o que quer que seja, e vocês viverão a Graça, sem colocar-se questões.

O julgamento mata-os.
O julgamento mata-nos a todos, porque o julgamento é a resistência.
O julgamento é ligado à dúvida, ao medo e à oposição à Luz.
Isso não pode ser de outro modo.

Agora, se vocês querem julgar, julguem.
Mas vocês apenas podem culpar a si mesmos.
E é, aliás, um julgamento de si mesmos.

Quem pode dizer (e mesmo eu, em minha vida) que manteve esse estado de consciência (sobretudo à época em que não havia o espírito Santo, em que não havia a Graça que fosse oferecida a todo o mundo) um dia sem julgar?
Mas, é claro, isso faz parte do humano (eu diria do que é do pré-humano) porque, quando vocês vivem o Si, vocês não podem mais julgar.

Então, é claro, o mental julga, eu diria, para rir, sem seu conhecimento, voluntariamente.
Mas rejeitem todo julgamento.

Aquele que lhes fez mal (qualquer que seja o modo pelo qual ele os fez) é para viver o que vocês têm a viver.
Vocês devem agradecer ainda mais o pior de seus inimigos do que o melhor de seus amigos porque, se vocês fazem isso, verão, por si mesmos, o que vai acontecer.
Ofereçam flores aos seus inimigos.

CRISTO disse: «não joguem pérolas aos porcos».
Ele falava do conhecimento espiritual que é, como vocês sabem, uma ilusão total.
Porque o ser humano deleita-se: ele aprendeu o tarô, a astrologia, meios ditos de conhecimento de si, que são apenas meios de ignorância de si.
Mas, simplesmente, na vida a mais comum, agradeçam.

É fácil dizer: «eu vivo a Luz, eu vivo o Amor, eu agradeço a Vida» e. Depois, lançar uma pedra em alguém (sobretudo se ele lhes fez mal).
Reflitam um pouco.

Se aquele que lhes fez mal, ou uma circunstância de vida lhes fez mal, não julguem.
Como lhes foi dito por outros Anciões, adiem todo julgamento.
Não reajam.
E o objetivo final é compreender que aquele que vem confrontá-los, mesmo se é numa ignorância total do que sustenta a vida (em combates de ego, digamos, de personalidade, de mental a mental), agradeçam-no, porque é ele que vai fazê-los, em definitivo, mais, não evoluir (isso não existe), progredir para esse Núcleo Central, para essa Graça, para esse final, para esse Absoluto, para a Vida.

Questão: poderia esclarecer-nos sobre a Onda de Vida em relação às Dimensões?

A Onda de vida é o que sustenta toda Vida, toda Dimensão, impregna, mesmo, as partículas as mais elementares.
O que vocês não veem aqui, do lado da Ilusão, é que o nada, o neant, é apenas uma estratégia defensiva do ego.

A Criação é Amor, desde a primeira Dimensão até a Dimensão Última (de todos os tempos, de todo espaço, se se pode exprimir assim): o que é o agente, a constituição, o motor de Tudo.
A Fonte, lembrem-se: é um Impulso.
Pode-se dizer, esquematizando, que a Fonte é o Pai.

O que nós dissemos, há muito tempo?
Eu volto apenas a isso, a título de história, se se pode dizer.
A Terra foi semeada por estruturas cristalinas, aportadas por aquelas a quem chamamos, pomposamente, Mestres geneticistas de Sírius.
O Núcleo Central da Terra é um Núcleo Cristalino que porta a vida.
É o estágio mineral, organizado, agenciado, que foi confinado por forças gravitacionais, cortado da Fonte.
A Fonte restabeleceu o contato – que é matricial, mas no sentido o mais nobre e não essa matriz invertida – de juntar-se ao seu Esposo.
O Casamento Místico (na escala do planeta, do Sistema Solar, da partícula elementar, da célula) nada mais é do que esses Reencontros: o que temos chamado, há algumas semanas, essas Núpcias de Luz.
Não são mais Núpcias Celestes que chegava lá do alto.
São Núpcias que acontecem na Graça, na carne, na Transcendência da carne.

Portanto, é claro que, mesmo a Fonte, que é Impulso (que banha toda Criação), apoia-se, de algum modo (é o melhor termo que eu posso dar-lhes), na Graça, ou seja, nessa Onda de Vida, essa Onda do Éter, essa Onda da Graça.

Encontram-se palavras, se querem, mas, eu repito, a palavra não os fará viver o que isso quer dizer (mesmo a Vibração, nesse nível).
É algo que se prova, eu diria.
E, naquele momento, vocês apreendem – porque o vivem – que vocês não são, absolutamente, esse corpo, absolutamente não, essa vida, absolutamente não, essa progressão, absolutamente não, esses chacras, absolutamente não, essas Coroas Radiantes, absolutamente não, essas Estrelas.
Mas vocês são a Totalidade de tudo isso.
E bem mais do que isso.

Então, as etapas preliminares, isso podia ser conhecido como etapas a efetuar.

Hoje, felizes os simples de espírito.
Esse estado, que nós explicamos longamente: a Humildade, a Simplicidade.
Alguns Anciões desenvolverão.

Mestre Philippe, o Melquisedeque da Terra, falou muito disso.
Não é uma questão de renegar a si mesmo.
Quando ele dizia: «eu sou o menor de vocês»: é preciso aceitar nada ser.
Mas aceitar nada ser não é rejeitar o que quer que seja.
É, simplesmente, fazer funcionar o princípio de vasos comunicantes.

Se vocês são algo aqui, vocês nada podem ser no Absoluto.

Vocês aceitam nada ser?
Não para viver o nada (que existe apenas no julgamento do ego).
Cabe a vocês decidir.
Mas é um ou o outro
Não são os dois ao mesmo tempo.

Em contrapartida, se vocês fazem o caminho, de um ou do outro, o que é que vocês constatarão (mas, unicamente, do outro lado, não antes, ou seja, quando vocês tiverem se tornado esse Absoluto, quando tiverem vivido o Casamento Místico, esse Êxtase permanente)?
Vocês constatarão que o outro é, realmente, uma parte de vocês.
Não é uma projeção.

Vocês apenas poderão ser o que vocês São, ou seja, Amor.
E como o Amor poderia renegar uma de suas partes, dado que está por toda a parte?
Apenas o ego é que crê que se separou.
Apenas o ego é que crê que há espiritualidades, há religiões, há uma evolução.
Mas tudo isso não concerne, absolutamente, nem ao Si e, ainda menos, ao Absoluto.

Então, é claro, o ego vai olhar o Absoluto dizendo: «mas o que é essa quimera?».
Mas, é claro que, para ele, é uma quimera.
Do mesmo modo que o Absoluto ri (mas ri com Amor) do ego, porque ele vê que é uma marionete.
É o princípio que nós já desenvolvemos do Abandono à Luz, é a alegoria da caverna de Platão.

Há seres que olham sombras.
Eles olharam tanto as sombras que estão persuadidos de serem as sombras.
Em seguida, eles aceitam voltar o olhar da projeção ao interior.
E o que eles descobrem?
Que eles não são as sombras, eles são outro corpo.
E depois, em seguida, o que acontece?
Eles se apercebem de que há fios que fazem movimentar a marionete.
Então, eles dizem: «qual é a mão que faz movimentar a marionete?».
E depois, em seguida, eles voltam sombras e olham a Luz e dizem-se: «A Luz é maravilhosa; vai-se deleitar de Luz; vai-se fazer gargarejos; vai-se fazer exercícios; vai-se fazer protocolos; vai-se jogar o jogo do ego; vai-se liberar os apegos».
Está-se numa lógica linear de progressão.

E depois, a um dado momento, o que acontece?
Explode de rir.
Explode de rir porque a consciência desaparece e, naquele momento, vive-se o Casamento Místico.
E vocês apreendem, com uma clareza e uma absoluta evidência (sem passar pelo mental, sem qualquer julgamento), o que vocês São.

Então, é claro, quando eu digo isso, se vocês não o vivem, o ego, ali, vai pedalar a toda velocidade, não é?
E é lógico.
O ego apenas pode estar na revolta total em relação ao Absoluto, uma vez que o ego é, justamente, a negação do Absoluto.

Portanto, se, em vocês, há cólera, se, em vocês, há desejo, se, em vocês, há julgamento, o que é que vai exprimir-se, naquele momento?
Mesmo que vocês tenham vivido a Coroa Radiante da Cabeça.
Mesmo que vocês tenham vivido a Coroa Radiante do Coração, o fogo do Coração e esse Amor Indizível.
Mesmo que vocês tenham vivido o Despertar do Kundalini.
Mesmo que vocês tenham as três Coroas ativas.
O que falta?
Nada falta.
Vocês são o que São.
Mas cabe a vocês saber onde vocês estão.

O ego ri do Absoluto (muito de raiva, aliás, hein?).
O Absoluto ri do ego, com Amor, total, porque o Absoluto não rejeita o ego.
É toda a diferença.
O ego rejeita o Absoluto.

Mas a vantagem que existe sobre a Terra, hoje, é que a Onda da Graça, a cada dia, torna-se cada vez mais importante.
A cada dia vocês são cada vez mais numerosos, mesmo sem ir até o Casamento Místico (que se instala no extremo de certo tempo, vocês sabem, isso foi explicado, eu creio, por ANAEL, há alguns dias), isso toma certo tempo para instalar-se.

E o que disse ANAEL?: «nada façam».
Então, sim, vocês podem andar no orvalho da manhã.
Mas se vocês continuam a julgar, por mais que andem de pés nus, todo o dia, no orvalho, todas as manhãs (admitindo que essa manhã dure toda a vida), vocês não viverão o Casamento Místico.

Mas não há a lamentar o que quer que seja.
Não há, aí tampouco, que condenar-se, julgar-se, porque vocês são, muito exatamente, a consequência do que manifestam à consciência.
Portanto, vocês não podem rejeitar a humanidade, rejeitar seu inimigo, porque esse próprio ato prova que vocês estão na ação/reação, qualquer que seja a Luz magnífica que lhes permitiu agir, como Ancoradores e Semeadores de Luz, qualquer que seja o Fogo do Coração.

Questão: poderia falar da noção de anticristo, aqui, sobre a Terra, atualmente?

O anticristo são as forças de oposição à Luz.
É o ego coletivo da Terra.

Então, é claro, nós falamos de Ahriman.
Existem esferas específicas de resistência.
Essas esferas específicas de resistência são aquelas que tentam arrastá-los para uma fossilização, ou seja, para sempre mais ego, para sempre mais experiência, para afastá-los de sua natureza.

Então, o corpo biológico, há extremamente muito tempo, foi confinado (eu não volto sobre tudo isso, porque, isso também, são ilusões).
Mas, hoje, há o quê?
Há esferas que tentam arrastá-los para o peso, para a gravidade.
O homem torna-se o que ele pensa, no sentido coletivo.

O que foi criado nesse século XX?
A técnica – ou seja, tudo o que é eletrônico – que virá reforçar o eixo Atração-Visão.
É a sedução.
É o sedutor, o anticristo: através do desejo, através da necessidade de possuir, através da necessidade de existir, mesmo.

O diabo é um sedutor.
Aquele que imagina o diabo com chifres e que vai dar-lhes medo nada compreendeu.
O diabo é extremamente sedutor.
É aquele que vai excitar, ao nível do ego coletivo, o princípio que vai fazê-los descer, cada vez mais, na matéria, a fim de acentuar a separação.

Então, vocês podem vê-lo encarnado em alguns seres, mas, aí também, é um julgamento.
Não se ocupem mais com a Sombra.
Não se ocupem mais com suas Sombras.
Não se ocupem mais em pôr isso sob o tapete: não há mais tapete.

Como eu disse, também, não há muito tempo: «ocupem-se com seus traseiros».
Isso quer dizer o que?
Não é um insulto.
É: ocupem-se com o que vocês São.

Então, eu digo nesse termos.
É claro, IRMÃO K dirá de outro modo, e outros Anciões de um modo mais intelectual, eu diria.

Eu me dirijo ao seu Coração e às suas entranhas.
Não as entranhas do ego, mas às entranhas que vão fazê-los, não reagir, mas aquiescer.
A quê?
Não a mim, não ao que eu digo, mas a si mesmos.

Portanto, não se ocupem com a feiura.
Não se ocupem com o que se opõe à Luz, porque onde vocês levam sua atenção, vocês vão reforçá-lo.
Porque, a partir do instante em que vocês estigmatizam algo, contrariamente ao que o ego possa crer, vocês o reforçarão (e isso pode durar uma eternidade).
É o princípio, mesmo, da ação/reação da vida.

Qualquer que seja a beleza da vida que vocês possam ver, não é a Vida.
É o ego que crê nisso.
E, no entanto, vocês não podem rejeitar essa vida, nem a sua, nem desse mundo, porque a missão (e eu o disse em minha vida) é de Ascensionar.

Então, é a palavra moderna.
Eu dizia espiritualizar a matéria, restituir-lhe sua Confiança, restituir-lhe sua Beleza, restituir-lhe sua Eternidade.
É o que vocês fazem.
Foi o que vocês realizaram e que nós realizamos com vocês.

E nós rimos com vocês.
Por que?
Porque nós prendemos o que se chama o diabo – o ego coletivo, a técnica – em sua própria armadilha.
A armadilha volta-se, sempre, contra aquele que a cria.
Como é que poderia ser de outro modo?
Uma vez que tudo é Graça.

Questão: como fazer a diferença entre o que releva de um desejo do ego e de um impulso puro?
 
O impulso puro é o que foi nomeado, cara amiga, o Abandono à Luz, essa tensão para o Abandono, de que lhes falou, há muito tempo, a Irmã HILDEGARDE DE BINGEN.

O desejo do ego, como vai traduzir-se?
Por questões.
O ego é questão.
A Graça é resposta.

Quando vocês são a Graça e o Absoluto, qual questão pode existir sobre qualquer ego que seja,uma vez que vocês superaram, transcenderam a ilusão e a própria consciência?

Portanto, o ego vai dizer: «eu quero a Luz, eu quero o Absoluto».
E o que ele descobre?
Que ele não o vive.
Então, o que vai acontecer?
Ele vai estar na cólera, ou, então, vai dizer: «isso não existe».

Há muitos espiritualistas que vão dizer isso, porque eles permaneceram congelados numa etapa, mas é a liberdade deles.

Como vocês sabem que estão na Verdade?
Isso não é um conceito intelectual.
Não é uma ideia.
Não é uma intuição.
Não é o fato de bem fazer.
Não é a empatia.
Não é o carisma.

Há guias: a Humildade, a Simplicidade.
Mas, depois, o que acontece?
Quando vocês vivem o que vocês São, esse Final, não pode existir qualquer dúvida, qualquer questão.
Nada pode vir alterar o que foi Passado.
É definitivo e irreversível.
Portanto, assim que existe a manifestação da pessoa, mesmo em sua pureza de Intenção (porque nós falamos dos Quatro Pilares, à época: Atenção, Intenção, Integridade, Ética), o ego, também, pode apropriar-se disso.
O ego apropria-se de tudo.
O ego puxa tudo para ele.
Mesmo em seu caminho espiritual, em sua sagrada evolução.

O Si é uma primeira etapa da restituição.
E, depois, é preciso abandonar o Si: «Pai, eu entrego meu Espírito entre suas mãos».
E, aí, a Ressurreição ocorre.
E, quando vocês ressuscitaram, não se colocam mais qualquer questão.
Mesmo aquilo a que nós atraímos sua atenção, desde os Casamentos Celestes, sobre o que eu chamei o planeta grelha.
Mas é a destruição de quê?
Da ilusão.
Não da Vida.
É, ao contrário, o que eu havia dito: «o que a lagarta chama a morte, a borboleta chama o nascimento».
O que a borboleta chama nascimento, o Absoluto chama a Graça e a Eternidade.
E isso engloba tudo.
Isso engloba a lagarta, todas as lagartas.
As borboletas, todas as borboletas.
As Dimensões, todas as Dimensões.

Como disse IRMÃO K, não há Deus exterior.
Vocês são Deus (eu não falo do falsificador, eu falo da aceitação corrente de Deus).
Vocês são a Fonte.
Vocês são a Eternidade.
Vocês são o Absoluto.
Vocês são a Vida.
Portanto, já, como vocês querem ser isso se colocam uma questão?
Ou se colocam a si uma questão?
Enquanto há questão, não há resposta.
Há respostas, mas as respostas não são a respostas.
E, no entanto, o paradoxo é: não é necessário rejeitar nada.

Se vocês rejeitam a mínima parcela, dizendo-se: «meu ego, é ele que me impede de viver», isso quer dizer o que?
Que vocês se opõem ao seu ego.
É similar para o inimigo.

Quanto mais vocês avançam – é uma má palavra – mais vocês progridem na Luz, no Si, no Absoluto: é o princípio de vasos comunicantes.
É o que dizia Mestre PHILIPPE, quando ele realizava, em sua vida, os milagres.
Ele dizia: «mas não são milagres; eu sou o menor de vocês, aqui».
Vocês acreditam que era uma expressão figurada, assim?

Por que o CRITO lavava os pés de seus discípulos?
Reflitam.
Era um ato de humildade, vai dizer-lhes a teologia.
Mas não.
Ele favorecia a Onda de Vida, a fim de que, no momento vindo, após Sua Crucificação, o Batismo pudesse acontecer.
Isso se chama o Pentecostes, a descida do Espírito Santo.

Deem-se conta, teoricamente, a Ascensão é antes de Pentecostes.
Hoje, vocês vivem tudo isso ao mesmo tempo, porque é a Graça.

Então, o ego vai dizer: «sim, mas, sim, mas é necessário que eu ganhe minha vida, sim, mas é necessário que eu faça isso, que eu faça aquilo».
É o ego que o diz.

O CRISTO dizia: «busquem o Reino dos Céus».
O que vocês fazem, então?
O dia em que vocês vivem isso, não há mais qualquer questão.
Não é possível.
É impossível.

Questão: achar que uma paisagem é bonita, passeando, é um julgamento?
 
Não.
Como você vê a paisagem?
Você a vê com os olhos?
Você a vê com o Coração?
Ou você a vê no Absoluto?
IRMÃO K exprimir-lhes-á, muito melhor do que eu, isso.

Quando eu olhava o Sol, em meditação, pela manhã, será que eu via o Sol, tal como vocês o veem quando o olham?
O ser humano tem tendência a considerar que o ato de ver é sempre o mesmo.
Há julgamento, não no fato de ver a beleza, mas será que isso basta para viver o Si?
Isso basta para estar estabelecido no Absoluto?
Não, é impossível, porque, quando vocês vivem o Absoluto, não há mais projeção.
Houve o Casamento Místico.
Portanto, quando vocês olham uma paisagem, vocês são a paisagem.
Mas não é uma visão do Espírito.
É a estrita Verdade.
Portanto, é outra coisa que olhar uma paisagem e achá-la bonita do que viver a paisagem.

Lembrem-se: nas etapas prévias ao Absoluto, havia a Comunhão, a Fusão, no início deste ano, a Deslocalização.
Enquanto vocês consideram – seja pelos sentidos e, mesmo, pelo coração – que tudo o que vocês podem contemplar – pelos olhos ou por outra coisa – é exterior, vocês estão (por definição e por obrigação) numa projeção.
O Amor que vocês dão aos seus filhos, ao seu marido, à sua mulher é uma projeção que faz apenas traduzir o que?
O medo da Unidade, o medo da falta, mesmo no amor, como dizer..., o mais perfeito, o mais romântico e o mais correto.

Em minha vida, perguntavam-me porque eu não tinha mulher, mas eu dizia: «não vou desposar uma mulher, uma vez que eu desposei todas as mulheres».
Por que limitar-me a uma pessoa?
Vocês veem a diferença?

Quando vocês estão no Amor, não há preferência, não há amigos, não há inimigos.
Não há paisagem, tampouco, porque vocês são isso.

Quando nós dizemos que esse mundo é uma ilusão, isso não quer dizer que é preciso negá-lo.
É claro, o ego vai apropriar-se disso para dizer: «mas é a antivida negar a vida».
Jamais se pediu para negar o que quer que fosse, mas transcender.
Não é a mesma coisa.

O ego, é claro, vai apropriar-se disso, dizendo: «não, é preciso rejeitar isso, é preciso rejeitar aquilo».
Não.
Porque, quando a Luz penetra-os e fecunda-os, ela própria age.

Olhem, por exemplo, há alguns anos, ANAEL sugeriu que, para viver mais facilmente a Luz, era preciso ingerir líquidos ou era preciso não mais comer algumas coisas.
Há os que se precipitaram nisso.
Mas foi o ego que se precipitou.

Hoje, o que acontece?
Aqueles que começam a viver as primícias da Onda da Graça, da Onda de Vida, eles não têm mais fome.
Eles se apercebem que não podem mais comer após tal hora ou, alguns, mais nada.

Nesse caso, o que vocês fazem?
Vocês decidiram não mais comer?
Não.
Foi a Vida que decidiu por vocês, a Graça que vocês se tornam, porque, já, a Luz transforma muitas coisas no cérebro, na descida da Shakti ou das Partículas Adamantinas.

Mas, nesse Absoluto, é uma transformação radical.
Vocês não estão mais localizados a um corpo.
Vocês não estão mais confinados num corpo.
Vocês não estão mais confinados numa emoção.
Vocês não estão mais confinados numa história.
Vocês não estão mais confinados num mental.
Vocês não estão mais confinados num corpo causal.

É claro, o ego vai dizer: «não é verdade».
Mas isso ele pode dizer quanto quiser, não é grave.

Aquele que o vive, vive-o.
Aquele que o é, é.
E é, verdadeiramente.

Nenhum ego tem interesse em proclamar que ele é Absoluto porque, se ele proclama isso, sem sê-lo, o que vai acontecer?
Isso será muito mal para o ego, uma vez que o ego é absolutamente o oposto e a antítese do Absoluto.

O ego existe apenas porque há projeção: na paisagem, no outro, naquele que vocês amam, no filho que vocês concebem ou que portam.
É claro que é emocionante.
É claro que, aí também, há a vida.
Nós jamais dissemos o contrário, jamais.
Aqueles que compreenderam isso, compreenderam errado.

O Absoluto não é a negação.
Ele é a aceitação da ilusão, ao mesmo tempo refutando-a: não é isso, não é isso, não é aquilo, não é aquilo.
E, naquele momento, a um dado momento, a Onda da Graça virá.

O que é a Onda da Graça?
É ela que vai pôr fim à questão, às questões, às dúvidas, aos medos.
Não os seus, pessoais, não seus apegos coletivos, não, mesmo, os últimos apegos coletivos, mas o Medo com um M maiúsculo.
O Último Medo: aquele da morte.

Quem é que morre, se não é quem deve morrer?
Vocês não são o que creem ser.
Então, é claro, o ego vai dizer: «não é possível».
Ele o dirá, sempre.
Mas jamais nós dissemos para lançar o ego.
Nós dizemos: «esqueçam as Sombras».

Vocês não são a Sombra.
Vocês não são o que veem.
Vocês não são o que criam, mesmo sobre esta Terra (filho ou obra de arte).
Vocês nada são de tudo isso.

Isso quer dizer que é preciso rejeitar a pintura?
É necessário rejeitar a música?
É necessário rejeitar a internet?

Nós dissemos que a internet arrasta-os a Vibrações pesadas, mas, quando vocês vivem o Absoluto, vocês riem de tudo isso, porque é o ego que é arrastado, não o Absoluto.

Questão: que são os ruídos estranhos que começam a ecoar por toda a parte?

O Céu rasga-se.
A Terra rasga-se.
É a Graça, é o Som do Céu e da Terra.
É o Canto da Vida.

De momento, não é geral, não é?
Mas não peçam que ele seja geral demasiado rapidamente.
Então, é claro, o ego, quanto mais as semanas vão passar, o que ele vai dizer?
O ego vai dizer: «nada acontece».
Sim, é claro, porque o que não compreendeu esse ego que diz isso é que isso acontece no Interior.
Como, se isso acontece no Interior, poderia acontecer no exterior, exceto no momento final, é claro.
Vocês acreditam que aqueles que vivem o que eles vivem, nesse momento, em alguns países ditos árabes, não estão num terror e num Apocalipse dramáticos?

Sejam felizes.
Sejam felizes que a Terra não desperte agora e que ela não seja despertada seis meses ou um ano antes.
Porque isso os deixa o que?

Sejam felizes que o que eu havia dito sobre a economia (por razões precisas) não tenha acontecido, mesmo se vocês tenham podido reclamar contra mim, que lhes disse uma mentira.
Não, eu lhes expliquei por que.

Não se ocupem mais em procurar algo de exterior.
Nada há.
O mundo não existe: ele é uma projeção total.
Mas não são vocês que desaparecem.
Vocês são a Eternidade, como vocês podem desaparecer?
O que desaparece é tudo o que existe apenas de modo extremamente limitado.

Então, é claro, o ego está aterrorizado.
São as etapas que havia dado SRI AUROBINDO sobre o Choque da Humanidade.
Vocês estão plenamente dentro.
Então, agora, seja um vulcão, uma guerra, sejam embarcações vegalianas que aparecem por toda a parte, é insignificante.
O mais significante é o que acontece quando a Onda de Vida, quando esse Casamento Místico (que lhes é dado, porque é uma Graça que lhes é oferecida) é vivido porque, aí, mais vocês riem.
Porque, no Absoluto, qual importância?

Como nós dissemos (como os Arcanjos disseram): estamos no Intrerior de vocês.
Estamos muito no Interior de vocês, mas não no ego.
Não nesse corpo.
No que vocês São.

Nós somos vocês e vocês são nós.
Não é um jogo de palavras.
É o ego que mantém a separação, nos jogos de papel, em funções.
Mas são palavras que eu lhes digo.
Mas, se vocês vivem o Casamento Místico, tudo isso lhes aparecerá, mas de maneira muito clara, muito evidente.
Não pode haver questões no Absoluto.

Agora, será que o Absoluto põe fim ao ego?
Não.

Há quem viva o Absoluto entre vocês.
Eles continuam num corpo, de momento.
Mas é o corpo que comanda?
É o mental que comanda?
Não.
É toda a diferença.

Questão: você nos aconselha ocupar-nos de nosso sacrum, de nossas profundezas, como fazê-lo sem, ali, colocar uma vontade?

Já, como para as Estrelas, como para as Portas, quando vocês portam o que se chama a consciência – ou a atenção – sobre uma zona, vocês vão senti-la.
É a mesma coisa quando eu digo: «ocupem-se de seus traseiros».
Eu não falo, unicamente, de um lugar preciso da anatomia.
Eu falo, também, do Absoluto.
O Absoluto não está nos traseiros, não é?
O Absoluto está por toda a parte.

Mas é necessário, efetivamente, que isso comece, se se pode dizer, para o ego, em algum lugar.
Isso começou pelos pés (explicaram-lhes porque os pés, e eu voltei a explicar, através da lavagem dos pés do CRISTO).
E, depois, isso chega, como disse ANAEL, no escroto, nas bolsas, e nos lábios, junto à mulher, no períneo, no sacrum, nas nádegas.
Mas nada há a fazer.

Como disse ANAEL, a Onda de Vida é natural (não por oposição, por contradição).
Buscar o Reino dos Céus, acolher a Luz que descia, isso necessitava (o que vocês fizeram, alguns) de exercícios e de protocolos.
Viver o Casamento Místico, a Onda de Vida (ou a Doação da Graça chamem como vocês quiserem), isso necessita de desidentificar-se (de uma pessoa, de uma doença, de um corpo, de uma casa, de uma família).
Tudo isso é efêmero.
Vocês têm filhos, esses filhos (que vocês amam acima de tudo), numa outra vida, são aqueles que lhes fizeram mais mal.
É difícil de acreditar.
E vocês, pais, mataram seus filhos numa outra vida.
Eles vieram por amor a vocês, na ilusão, na ação/reação.
Portanto, tudo isso é efêmero, isso não tem sentido.

Como dizem alguns, e como aqueles que vivem o Absoluto: «é uma trapaça».
Mas, sim.
Mas enquanto vocês não viveram a trapaça, como podem saber que é uma trapaça?
Eu prefiro a palavra farsa.
Porque, na palavra farsa, há a palavra espetáculo.
É um espetáculo.
Mas vocês não são o espetáculo.
Mas, se querem manter, eternamente, o espetáculo, que lhes seja feito de acordo com sua fé.
É sua liberdade.

O que não tem sido correto é privar uma célula de vida (vai-se chamá-la assim, que é bem além do corpo, da alma, do Espírito) de sua conexão.
Agora, tudo está reconectado.
Aliás, após mim, IRMÃO K falará muito, muito bem dessa noção de relação, de inteligência, de conhecido e de desconhecido.
Muito melhor do que eu.

Questão: aqueles que estão atados pelos tornozelos não podem viver a Onda de Vida?

Exato.
Não é uma punição, porque a Onda de Vida, como dizer..., ela não se cria.
Ela se atualiza, em seu momento, e não no momento de outro.
Há, também, uma noção cumulativa, de limiar, para que haja suficientemente Onda de Vida que se acumula, para dar esse impulso de subir ao longo das pernas, para chegar aos dois primeiros chacras.

Como disse ANAEL, nada há a fazer.
Então, favorecer, pelo orvalho da manhã, isso foi explicado porque.
Mas querer fazer nascer a Onda de Vida é o ego.

A Onda de Vida é natural, uma vez que é nossa natureza, de todos.
Nossa perfeição, que jamais sofreu a mínima alteração, que é perfeita, de toda a Eternidade.
Como esse Absoluto poderia evoluir de qualquer modo, uma vez que é Eternidade?
É o ego que é efêmero e que os faz crer que vocês são eternos.

Nós lhes explicamos as quatro consciências: sono, vigília, Turiya e sonho.
Além das quatro consciências há o Absoluto, que não é o nada, que é o Tudo, e que não é mesmo, mais, consciente.
E, no entanto, não é a inconsciência.

Não temos perguntas. Agradecemos.

Então, eu lhes transmito todas as minhas bênçãos e eu lhes digo: «sejam belos» porque vocês não podem ser nada mais do que belos.

O que vocês querem Ser?
Nada há a Ser que vocês já não São.
E, para isso: Humildade, Simplicidade.
O Absoluto é isso.

Eu lhes dou todo o meu Amor, que é o seu.
Até breve.
Fiquem bem.
 ___________________
Compartilhamos estas informações em toda transparência. Obrigado por fazer do mesmo modo. Se você deseja divulgá-las, reproduza a integralidade do texto e cite sua fonte: www.autresdimensions.com.

4 comentários:

  1. "Mas aquele que lhes dá o tapa é, certamente, aquele que lhes permitiu Despertar.
    Portanto, agradeçam-no.
    E rendam Graças pela ação dele, de resistência.
    Rendam Graças por sua ação de oposição.
    Não julguem.
    Não o condenem."
    E eu gostaria de acrescentar que seja qualquer humilhação, que seja qualquer doença, que seja qualquer problema ou oposição: este é o seu trampolim para te impulsionar ao Reino dos Céus. Depois você pode rir disso tudo.
    Somos maiores do que tudo isso.

    ResponderExcluir
  2. A Onda de Vida, todo ser humano vai vivê-la, porque isso faz parte do processo alquímico final da Transformação <> Há uma etapa indispensável, que é o Abandono: o Abandono à Luz e, em seguida, o Abandono do próprio Si <> Hoje, há seres que vão viver essa Onda de Vida e, portanto, a consequência é o Casamento Místico, que faz transcender toda carne, que faz Ascensionar toda carne <> E, se vocês estão na Ação de Graça, não há qualquer razão para que a ação/reação provoque o que quer que seja que pertença à ação/reação (ou seja, em especial, o sofrimento) <> A Onda de Vida tira-os, definitivamente (como foi dito, não há caminho possível de volta), de todas as ilusões <> É fácil dizer: «eu vivo a Luz, eu vivo o Amor, eu agradeço a Vida» e. Depois, lançar uma pedra em alguém (sobretudo se ele lhes fez mal). Reflitam um pouco <> Enquanto há questão, não há resposta. Há respostas, mas as respostas não são a respostas. E, no entanto, o paradoxo é: não é necessário rejeitar nada <> Se vocês rejeitam a mínima parcela, dizendo-se: «meu ego, é ele que me impede de viver», isso quer dizer o que? Que vocês se opõem ao seu ego. É similar para o inimigo <> Então, o ego vai dizer: «sim, mas, sim, mas é necessário que eu ganhe minha vida, sim, mas é necessário que eu faça isso, que eu faça aquilo». É o ego que o diz <> O CRISTO dizia: «busquem o Reino dos Céus». O que vocês fazem, então? O dia em que vocês vivem isso, não há mais qualquer questão <> É claro, o ego vai dizer: «não é verdade». Mas isso ele pode dizer quanto quiser, não é grave. Aquele que o vive, vive-o. Aquele que o é, é. E é, verdadeiramente <> Nenhum ego tem interesse em proclamar que ele é Absoluto porque, se ele proclama isso, sem sê-lo, o que vai acontecer? Isso será muito mal para o ego, uma vez que o ego é absolutamente o oposto e a antítese do Absoluto <> O ego existe apenas porque há projeção: na paisagem, no outro, naquele que vocês amam, no filho que vocês concebem ou que portam <> O Absoluto não é a negação. Ele é a aceitação da ilusão, ao mesmo tempo refutando-a: não é isso, não é isso, não é aquilo, não é aquilo. E, naquele momento, a um dado momento, a Onda da Graça virá <> Mas não são vocês que desaparecem. Vocês são a Eternidade, como vocês podem desaparecer? O que desaparece é tudo o que existe apenas de modo extremamente limitado <> Estamos muito no Interior de vocês, mas não no ego. Não nesse corpo. No que vocês São.

    ResponderExcluir
  3. "A Onda de Vida, todo ser humano vai vivê-la, porque isso faz parte do processo alquímico final da Transformação. É o Reencontro entre o Eterno Masculino e o Eterno Feminino. É o Retorno à Androginia Primordial.
    "É o Casamento Místico, que faz Transcender toda carne, que faz Ascensionar toda carne...às Moradas da Eternidade.

    "A Liberação da Terra é a Liberação da Humanidade.

    "O Si é uma primeira etapa da restituição.
    E, depois, é preciso abandonar o Si:
    << Pai, eu entrego meu Espírito entre suas mãos >>.
    E, aí, a Ressurreição ocorre.

    "O que a lagarta chama a morte,
    A Borboleta chama o Nascimento.
    O que a borboleta chama o Nascimento,
    O Absoluto chama a Graça e a Eternidade."

    "Vocês são a Fonte. Vocês são a Eternidade.
    Vocês são o Absoluto. Vocês são a Vida."


    Rendo Graças.

    ResponderExcluir
  4. Retorna nosso querido e pomposo Aïvanhov, clarificando nossas dúvidas: "A Onda de Vida, todo ser humano irá vive-la, neste final de Transformação. Esse encontro com a Luz, não é por palavras, que sentiremos, mas vivenciando". Voltemos a Cristo: "Os primeiros...". "Vivendo a Onda de Vida, a consequência é o Casamento Místico. O trabalho de conscientização da Luz, a vivência do Si, e a Onda de Vida, vem realizar a Graça. E se estivemos na Ação de Graça, não há sofrimento, tirando de todas as ilusões. Que maravilha! Um caminho, que não tem retorno, 'só ida'.

    O julgamento nos impossibilita, a Onda de Vida, finalizar-se. Reprise: 'O julgamento é do ego e não da Luz'. Atentemos: De Graça, aos confinados,pois podem reagir violentamente. "A cada dia, a cada minuto, vocês vão
    descobrir uma Graça... A Graça vai aparecer". Repetindo: "Viver a Graça, Casamento, a Unidade, não pode haver rejeição, quer em nós, através de nossas ilusões, quer do outro (independente do que ele tenha feito). "Mas aquele que lhes dá o tapa é, certamente, aquele que lhes permitiu Despertar. Rendam Graças, por sua oposição. Treinem-se. Julgamento é a resistência. O mental julga sem o nosso conhecimento".

    Nosso Aïvanhov, fala de maneira muito clara, nossas controvérsias: 'Vivo a Luz, eu vivo o Amor e depois lançamos uma pedra em alguém, principalmente se ele nos fez mal". "Porque se queremos ser algo aqui, nós nada seremos no Absoluto. Ego é justamente, a oposição do Absoluto. O ego é questão. A Graça é resposta. Quando a Luz penetra, nos fecunda. Ela própria age".

    Mantenhamos na Humildade e na Simplicidade. Fiquemos bem.

    Noemia

    ResponderExcluir