Seguidores

SE VOCÊ COMPARTILHAR ALGUMA MENSAGEM DESTE BLOG, FAVOR REPRODUZI-LA EM SUA INTEGRALIDADE, CITANDO A FONTE OU INDICANDO O LINK DA MESMA.

24 de mai de 2015

ENSINAMENTOS DE MAIO



ENTREVISTAS DE PENTECOSTES – MAIO DE 2015

Na ordem de leitura:

Primeiro texto

O CORO DOS ANJOS
(IRMÃO K – PHILIPPE DE LYON – OMA)


CANALIZAÇÕES MAGISTRAIS

Segundo texto

NO EYES – MAIO DE 2015


Terceiro texto

ANAEL – MAIO DE 2015


Quarto texto

O ESPÍRITO DO SOL – MAIO DE 2015


LI SHEN
A Dança da Onda - Elemento Água
Encadeamento dos três primeiros Elementos


Quinto texto

MARIA – Eu venho portar as águas do alto.


Sexto texto

SRI AUROBINDO – Modificações ligadas ao Face a Face


Sétimo texto

ESPÍRITO DO SOL – Eu venho revelar sua Eternidade

Oitavo texto

OMA, MIGUEL, O ESPÍRITO DO SOL, O CORO DOS ANJOS, MARIA

-----------------------------------

ENTREVISTAS DE PENTECOSTES – SEGUNDA PARTE

O.M. AÏVANHOV – Questões e Respostas – primeira parte

O ESPÍRITO DO SOL – Questões e Respostas – segunda parte



OMA, MIGUEL, O ESPÍRITO DO SOL, O CORO DOS ANJOS, MARIA




OMA

Bem, caros amigos, como eu havia dito, estou, novamente, entre vocês.
Como viram, eu vim visitá-los, a cada dia, para transmitir-lhes alguma coisa, mais ou menos.
Então, esta noite, eu não venho sozinho, eu venho com o Arcanjo Miguel e, e claro, o Espírito do Sol, assim como, o que será cada vez mais constante, o Coro dos Anjos, que está em vocês e que começa a cantar em vocês, no coração e nos ouvidos.

Nós vamos dizer certo número de coisas que eu vou agenciar, é claro, segundo suas questões.
Eu esclareço, contudo, que o que nós temos transmitido como informações, como vibrações, como conhecimento interior é, diretamente, ligado ao que eu chamaria «As Entrevistas de Pentecostes», porque, como vocês sabem, o Pentecostes é, não há muito tempo, e mesmo se as festas foram falsificadas, há, de qualquer forma, independentemente da comemoração, um evento preciso, que se desenrola durante esses momentos, a cada ano, independentemente, eu diria, das festas históricas ou memoriais.
Vocês sabem o que se pode pensar das comemorações, isso lhes foi evocado.

E, então, eu concluo, assim, esses anúncios de Pentecostes e essas «Entrevistas de Pentecostes» com o elemento Água, o batismo das águas do alto, que corresponde, totalmente, ao Pentecostes, e a ativação, também, dos elementos e do Coro dos Anjos, ao nível do princípio do elemento da água.

Aí está tudo o que você tem vibrado, aí está tudo o que você tem trocado, aí está, também, para todos aqueles que lerão, a oportunidade de experimentar e de sentir coisas que lhes assinalam que há iminência dessa transformação à qual vocês têm sido preparados, alguns de vocês já há muito tempo, ou seja, não, unicamente, desde o momento em que nós interviemos, mas, já, para alguns de vocês, a partir do início da primeira descida do Espírito Santo, ou seja, há mais de trinta anos.

É claro, você observa, também, ao seu redor, mesmo aqui, irmãos e irmãs que não foram nem ancoradores nem semeadores de Luz, no sentido em que vocês o viveram, e que se juntam à matriz Crística de Liberdade e ao corpo de Existência em toda evidência, e isso será assim, cada vez mais.

Então, aí também, você terá não um papel de explicação, porque eles não têm necessidade disso, mas um papel, também, de fazer ressoar sua própria luz, fazer cantar os anjos do Senhor em você e entre vocês.

Tudo isso vai viver-se, progressivamente, vocês tiveram elementos que lhes foram comunicados pelo Espírito do Sol e por outros intervenientes, concernentes a tudo o que vai ser vivido e viver-se-á, durante este período.
Aí está o que eu tinha a dizer-lhes antes do verão.
Então, agora, vamos refinar algumas coisas que eu não tinha, ainda, dito, mas que vão dizer-se através, é claro, de suas interrogações e suas questões, sobretudo, em relação, eu diria, às descobertas que vocês têm vivido durante este período de tempo, já, a partir de abril, mas com certa acuidade, agora.

Então, eu responderei, mas munido do Espírito do Sol e da espada de Miguel, que dará uma tonalidade especial à expressão de minhas palavras e às Presenças que se instalarão aqui e para aqueles que lerão.

… Silêncio…

Em cada silêncio entre os questionamentos, nós comungaremos pelo Coro dos Anjos.

Questão: o que representam essas duas palavras: O Espírito do Sol?

Então, aí, cara amiga, eu creio que você não seguiu o que eu já expliquei, você não leu o que eu já disse há duas semanas.
Então, eu a remeto a isso, porque eu não poderia repetir a mesma coisa.
Está em ressonância, ao mesmo tempo, com o Feminino sagrado, em ressonância, ao mesmo tempo, com Hercolubus, em ressonância, ao mesmo tempo, com a co-criação consciente.
Aí está o que eu posso dizer para resumir, é claro.
Mas tudo isso foi explicado, progressivamente e à medida que o Espírito do Sol aparecia entre vocês.
Mas o importante é vivê-lo.
As correspondências estabelecem-se por si, assim que há acolhimento do Espírito do Sol, como para o Coro dos Anjos.

… Silêncio…

Questão: esta manhã, eu ouvi pessoas falarem, e alguma coisa saiu abaixo de meu nariz, depois, voltou.
O que é isso?

Isso é diretamente ligado ao Verbo Criador, à co-criação consciente, que corresponde ao décimo primeiro corpo.
É a ativação do Verbo.
O primeiro Verbo audível, após o Silêncio no Absoluto, é o Coro dos Anjos, é bem mais do que o Som sagrado que percorre o universo.

Então, a partir do instante em que você se alinha e vive esse Coro dos Anjos, é claro, isso quer dizer que o último corpo a ativar-se, de maneira completa, é esse décimo primeiro corpo.
E ele vai dar-lhe a viver, como você descreve, certo número de manifestações que acontecem em relação com «o redor da boca», se posso dizer.
Portanto, é a ignição, se posso dizer, da Merkabah interdimensional, que lhe dá a viver o que você vive com o Coro dos anjos, com o Espírito do Sol, comigo também, ontem, e, também, com não importa qual de vocês, a partir do instante em que você se apaga diante da Graça.

Assim, esse gênero de manifestações, vibratórias, da consciência, das Estrelas e, também, do conjunto de Portas do corpo.
Você sabe onde estão colocadas as Estrelas, aproximadamente, você têm seis delas à frente, e seis atrás.
Você tem, exatamente, cinco atrás, isso depende de como você as conta.
Mas, o que quer que seja, você tem percebido, por vezes, dores, por vezes, ressonâncias específicas em algumas dessas Portas, durante esses anos.
As últimas Portas a ativar-se são aquelas que, talvez, você sinta ao nível do sacrum, de um lado e do outro, na parte superior e na parte inferior do sacrum.
O ponto KI-RIS-TI foi transfixado, então, isso quer dizer que o conjunto de Portas de recepção da Luz está, agora, em acordo vibratório com a Eternidade.

A Lemniscata sagrada põe-se no trabalho e destranca o que devia ser, ainda, destrancado ao nível do Verbo Criador e da co-criação consciente e que vem, de algum modo, realizar a Ascensão, acompanhada pelo Coro dos Anjos, os Anjos do Senhor, para aqueles que são concernidos ou outros povos unificados na 3D ou alhures, em função de seu estabelecimento, não é?, na Eternidade.

Tudo isso você está vivendo, e você o viverá, de maneira cada vez mais surpreendente, e cada vez mais maravilhada, se você está do lado, se posso dizer, da Eternidade.
Todas essas manifestações e muitas outras, como as Presenças que vão tornar-se cada vez mais perceptíveis a você, os pensamentos de uns e dos outros, através da relação que vão tornar-se acessíveis, como as linhagens estelares e como, também, a suspeita, para aqueles que não o viveram, ainda, do Absoluto.

Tudo isso se resolve na Infinita Presença, você sobrepõe, aqui mesmo, a parte efêmera e a parte eterna, quase na totalidade, uma vez que o Verbo Criador está aberto e que as doze Portas da Jerusalém Celeste, de sua Merkabah, mas da Merkabah interdimensional coletiva estão em ressonância e estão prontas para funcionar ao sinal de Maria.

Então, quanto mais você viver percepções concernentes ao Canal Mariano, à Onda de Vida, para aqueles que não viveram a subida completa dela, a Coroa radiante do coração, o tétrakihexaèdre [aqui] [tetracoságono], a Nova Eucaristia, a Pequena Coroa da cabeça, acima da grande Coroa radiante – menor – que corresponde à segunda coroa de Buda e que corresponde à junção total entre o coração e a cabeça, o que dá, efetivamente, o estado de budidade, a Realização e a Liberdade, porque é nesse nível que se encontra a fonte de todas as coisas.
E, se você está aí, e se você vive isso, todo o resto que viria opor-se ou resistir nada mais representa do que algo que faz apenas passar e que se resolverá, como foi dito, pela Inteligência da Luz e por sua capacidade para desaparecer do efêmero e para inundar-se, você mesmo, da Graça e do Fogo do Sol.
Tornar-se esse Filho Ardente do Sol, que não encontra mais, em seu caminho, qualquer obstáculo viável à emanação de sua Eternidade, mesmo na superfície desse mundo.

Então, é claro, como foi dito, com, por vezes, pequenos inconvenientes para aqueles que não estariam na relação de conformidade com Cristo, porque isso dá muito medo para aqueles que têm medo, porque isso pode provocar resistências para aqueles que resistem, mas isso pode, também, liberar as válvulas de resistências para inúmeros de seus irmãos.
Naquele momento, a matriz Crística reproduz-se, ao idêntico, junto àqueles de vocês que se reencontram, quando há afinidade e ressonância no plano do Coro dos Anjos.

O Coro dos Anjos é, também, o último som que é ouvido ao nível da ampola da clariaudiência e, portanto, do Canal Mariano, que assinala a permeabilidade total desse Canal Mariano e, portanto, para vocês, a possibilidade direta de fundir os planos, portando a consciência no décimo segundo corpo ou, diretamente, no coração, o que lhe permite, muito em breve, se já não é o caso, e à vontade, estabelecer-se em Shantinilaya, e encontrar todos os recursos necessários, bem mais do que o que você poderia obter de sua dedução, suas cogitações, ou com o que pode restar de sua pequena bicicleta.
As bicicletas foram removidas, mas há os que creem que as têm, ainda.

Todas as soluções e todas as respostas encontrar-se-ão, cada vez mais, na música das esferas e, em especial, ao nível do último som que acompanha o que está pouco antes do Mahasamadhi, ou seja, do desaparecimento da forma.
Você está, muito exatamente, aí,
Então, se você não o percebe ainda, qualquer que seja sua antiguidade, independentemente do que você já tenha vivido e, mesmo, se você nada tenha vivido, se você se depara com o que eu digo, se você se depara com o que lê, atualmente, é que você é filho do Um, e que é tempo, agora, de não mais ocupar-se de trivialidades, de não mais ocupar-se do que não é a emanação da Luz de seu ser nesse mundo.

Aí está o que se desenrola, e aí está a que vocês são levados, durante este período que vai estender-se, eu diria, quase até o solstício de verão, porque eu creio que essa data foi-lhes dada, pouco antes de mim, pelo bem amado Sri Aurobindo ou pelo Espírito do Sol, mas é a mesma coisa, também.
Então, não procure correlacionar essa data do solstício de verão a qualquer coisa que não a efusão da Luz, total, em sua consciência.
É por isso que, já, vocês são nutridos pelo Coro dos Anjos, pela Eternidade, para, efetivamente, mostrar-lhes e demonstrar-lhes, a si mesmos, pela experiência que vocês vivem, aí onde vocês estão.

… Silêncio…

O Espírito do Sol está respondendo a você, no coração de seu Silêncio.

… Silêncio…

Vocês podem, talvez, já, observar, quando ele fala através de mim, diretamente, o que acontece ao nível de sua Coroa radiante da cabeça e, também, ao nível das Portas, mas, também, ao nível do princípio dos elementos, ou seja, os quatro pontos principiais doa elementos acima dos Triângulos elementares.
Se vocês são receptivos, se acolhem, vocês sentem, agora e já, o que se desenrola em vocês.

… Silêncio…

E, aí, é o Coro dos Anjos que responde.

Vocês vão, doravante, habituar-se, muito rapidamente, a tocar, se posso dizer, a sinfonia da Vida ao nível dos elementos e dos princípios elementares.
Vocês vão aperceber-se das ligações entre seus pensamentos e os elementos, de maneira direta.
Tudo estará na sua vida, se você acolhe, apenas com admiração e descoberta, redescoberta.
E você verá, também, os momentos nos quais você resiste, como momentos que lhe parecerão, em relação à felicidade do Coro dos Anjos, como elementos cada vez mais intoleráveis e que não têm razão alguma de ser na Verdade que você é.

Você conseguirá, então, colocar-se cada vez mais precisamente e ver, eu diria, a exatidão do Verbo Criador.
E, quando o Verbo Criador está ativo, inteiramente, é preciso lembrar-se de que é necessário não prestar atenção, mas permanecer centrado nos pensamentos de Amor e na Verdade.
Porque, caso contrário, o retorno ao efêmero dar-lhe-á a ver, de maneira, por vezes, desagradável, que não é isso a Verdade.
Mas você terá a possibilidade de reajustar-se imediatamente, eu diria.

… Silêncio…

Você recebeu, durante essas entrevistas, os movimentos da água, você trabalhou com os Triângulos elementares pelos cristais, você viveu o reencontro com o Coro dos Anjos.
Tudo isso corresponde à revelação do princípio da Água, que é preliminar ao retorno da Fênix e ao despertar do Fogo vibral, não para transmutar suas estruturas, como foi o caso, mas, bem mais, como a revelação da última Verdade.
Aquela que vem pôr fim a todas as verdades relativas, como diria o Arcanjo Anael.
A Verdade absoluta, há apenas uma, todo o resto são apenas construções, interpretações ou projeções da manifestação da consciência que joga o jogo da Vida e da própria formalização na Liberdade das dimensões, dos diferentes potenciais da Criação e da Vida.

Eis a resposta do Espírito do Sol.

… Silêncio…

Ao mesmo tempo, a resposta do Coro dos Anjos.

… Silêncio…

Para ajudá-lo a perceber o que é dito na língua vibral e na língua do silêncio do Verbo, porte sua consciência ou no coração ou, sempre, no nariz.

O Coro dos Anjos, agora.

… Silêncio…

E Miguel, agora.

… Silêncio…

Por sua espada de Verdade.

… Silêncio…

Não desapareça completamente, de qualquer forma, hein?

… Silêncio…

Questão: durante a tempestade, eu vi cinco colunas de Luz que se apresentavam, como colunas de fumaça ou de Luz ou nuvem.
O que é?

O Céu junta-se à Terra, e a Terra junta-se ao Céu.
É a fusão dimensional.
Eu falei, há pouco mais de um mês, dos vórtices que se manifestavam onde estavam os povos elementais.
Esses vórtices, essas fumarolas, vocês podem dizer, ou essas névoas específicas, de fato, representam a fusão do Céu e da Terra.

É claro que a eletricidade, a umidade, a água, tal como você a vê estão, é claro, presentes.
Mas é bem mais do que isso.
É a fusão do Céu e da Terra, porque o Verbo Criador e o Coro dos Anjos abaixaram-se até vocês, a Fonte também, Cristo e o Sol e nós mesmos descemos até vocês, o que lhes dá a ver, como eu disse, ou à noite, nos ambientes naturais e, mesmo, eu penso, cada vez mais, nas cidades.
Vocês vão se aperceber de que há um espetáculo, eu diria, que vai parecer-lhes mágico, para alguns, apocalíptico, mas é a mesma coisa.
É a fusão do Céu e da Terra, é a fusão dos elementos, é a revelação do Verbo Criador, é a revelação da co-criação consciente e do Feminino sagrado, em atualização total na Terra.
Vocês verão cada vez mais desses fenômenos e, aliás, em breve, são vocês que serão, como eu disse, submetidos a esse processo e terão a estupefação de ver que, mesmo se vocês estejam fazendo alguma coisa, vocês não veem mais partes de seu corpo... ele se torna branco.
É o corpo de Existência.

Então, eis a resposta conjunta de Miguel, do Espírito do Sol e do Coro dos Anjos, desta vez, os três ao mesmo tempo.

…Silêncio…

Do mesmo modo que, a partir das Notas de Fevereiro, vocês viram que nós podíamos intervir sucessivamente, uns e os outros, porque nós estamos presentes em vocês e em cada um daquele que nos recebe.
Aí, de momento, nós esclarecemos que há o Espírito do Sol, que há o Coro dos Anjos, mas eles vão aparecer-lhes de maneira cada vez mais flagrante, eu diria, que, mesmo entre vocês, simplesmente, através das palavras que vocês trocarão, das reuniões, das banalidades ou das coisas importantes, vocês observarão, também, isso, ou seja, que o Coro dos Anjos, que o Espírito do Sol, que o Fogo do coração de Cristo, que Miguel, que eu ou outros Anciões estarão, ao mesmo tempo, em seu Canal Mariano, mas, também, em suas interações entre irmãos e irmãs na Terra.

É a realidade da Luz e de Cristo que se põe à frente.
E, também, em vocês.
E vocês terão, aliás, a oportunidade de apreciar a realidade de uma relação, a verdade de uma relação, não mais, unicamente, através das palavras, não mais, unicamente, através dos olhares ou das belas frases, mas, diretamente, pela vibração, do Coro dos Anjos, do Espírito do Sol etc., o que lhes dá a viver, em situações banais, por vezes, essa reunião mística com o outro você mesmo, que é bem mais do que, simplesmente, comunhões de pessoas, fusões de pessoas ou dissoluções de pessoas, porque, nessa ocasião, você se aperceberá de que não é mais uma pessoa e que você não é mais nem sua pessoa que você acreditava ser, nem o outro com o qual você está na relação: você é algo de bem mais vasto, que é o Coro dos Anjos.

Então, você ouvirá seus ouvidos soarem com o Coro dos Anjos.
Você verá seus Triângulos elementares da cabeça pôr-se a agitar, a girar, a vibrar, a deslocar-se e, por vezes, o Silêncio far-se-á, totalmente, porque se produzirá alguma coisa entre seu coração e o coração do irmão ou da irmã.
Não veja, aí, qualquer relação pessoal, não veja, aí, nem alma irmã nem experiência, qualquer que seja, mas apenas o desenrolar da Vida entre cada irmão e cada irmã dessa Terra, que vive a revelação do Coro dos Anjos e, portanto, a revelação da Merkabah interdimensional na fase em que ela está.

O Espírito do Sol fala, ao mesmo tempo, agora, que o Coro dos Anjos.

… Silêncio…

Vocês estão, aqui, na fonte da Paz, na fonte do Verdadeiro.
E, talvez, vocês observem, já, quando de meu período de Silêncio, enquanto se exprimem, em outra dimensão, o Espírito do Sol e o Coro dos Anjos, que vocês sentem, em si, que reage o coração de diferente maneira, mas em espécie de sintonia com a cabeça, as Portas são abertas e as Estrelas irradiam.

… Silêncio…

Questão: o topo do crânio estava doloroso, como se houvesse uma coluna que entrava nele, que põe em ressonância todo o sacrum.
É o mesmo processo?

O topo do crânio, ou seja, o ponto ER desce, em linha direta, pelo que foi nomeado o canal do Éter, ou seja, o canal mediano da Sushumna, não parasitado por um réptil, mas forrado pela Luz vibral que vem do Espírito Santo, do Paráclito, que descia, já, há muito tempo, mas que, efetivamente, une a cabeça ao sacrum e ao coração.
Você não forma mais do que um tudo, e você vai observar, em si, as ressonâncias entre a grande Coroa da cabeça, a Pequena Coroa da cabeça, a Coroa radiante do coração ou um dos outros constituintes que está contido no peito, com o sacrum, mas, também, com a Onda de Vida e o Canal Mariano.
É o conjunto de suas estruturas que se põe, eu diria, na ativação de Luz final.

Aí está o que dizem o Espírito do Sol e Miguel.

… Silêncio…

E aí está, agora, a resposta do Coro dos Anjos.

… Silêncio…

Alguns de vocês começam a identificar o que se desenrola ao nível do corpo de Existência e não mais ao nível do corpo físico.

… Silêncio…

E, talvez, vocês já observam, mesmo no Silêncio, sem resposta nem de mim nem do Silêncio, vocês constatam, talvez, a dança dos elementos em vocês, ao nível das Portas, ao nível dos Triângulos, ao nível da Pequena Coroa da cabeça, ao nível de sua própria consciência.
Isso vai produzir-se, cada vez mais frequentemente.

… Silêncio…

Questão: no ouvido esquerdo, eu ouvi como um rádio e como uma sintonização de som, e uma voz de homem, mas sem captar, verdadeiramente, palavras.

Eis, primeiramente, antes que eu me exprima, desta vez, a resposta de Miguel, no silêncio:

… Silêncio…

Então, o que você vive assinala a abertura total, ao mesmo tempo, da ampola da clariaudiência, mas, também, do Canal Mariano, que dá a ele uma permeabilidade não habitual, mesmo para os mais avançados de vocês, é isso que lhe permite conscientizar-se, ouvir o Coro dos Anjos e perceber o que isso faz nessa sobreposição efêmero-Eterno.
Então, é claro, você vai, de diferentes maneiras, ouvir o Coro dos Anjos, mas, por vezes, também, ouvir vozes, porque é por aí que falará Maria e é por aí que você a ouvirá.

Então, tudo isso é o processo final de sua Ascensão, na qual os últimos detalhes da revelação da Merkabah interdimensional, individual e coletiva, assinalam-se por todos esses episódios e todos esses reencontros que você tem com a Luz, consigo mesmo, com os irmãos e irmãs, entre, também, o reencontro entre o Eterno e o efêmero.

Haverá cada vez mais mecanismos como esse.
É como se o conjunto de seus novos sentidos espirituais, mas, também, das estruturas intermediárias dos novos corpos compusessem doze corpos.
Você sabe que você tem um único corpo de Existência, mas, quando da sobreposição, a resultante disso são doze corpos: os corpos que você conhece, o corpo causal, que é destruído e dissolvido pelo fogo do Espírito e que põe fim à existência da alma, a partícula átmico, e mistura-se com isso a capacidade para nascer em Cristo, para receber a matriz Crística e Cristo, para emanar e irradiar, espontaneamente, a Luz da Fonte e viver o êxtase, comunicar-se sem qualquer restrição com todos os planos e, isso, por todos os sentidos espirituais, manifestar o Verbo Criador e a co-criação consciente e juntar todas as partes separadas de você, ou seja, a Androginia Primordial.

Todos os sintomas são ligados a isso e, sobretudo, você constatou, à percepção que você vai ter, seja de seu coração, seja de sua cabeça, ao nível dos Triângulos, ao nível dos circuitos e, também, agora, ao nível de suas Portas.

A resposta do Coro dos Anjos:

… Silêncio…

Lembre-se de que, no plano histórico, mesmo se não seja uma comemoração, o Pentecostes designa e realiza o conjunto de potenciais espirituais ligados à descida do Espírito Santo que se manifesta, igualmente, pelo que foi chamado o «falar em línguas», que corresponde ao Verbo, cuja essência, a essência precisa das palavras não é inteligível, corresponde ao canto espontâneo, também, corresponde a algumas notas de música, algumas melodias que podem aparecer, tudo isso é o que vocês vivem.
O Pentecostes é a manifestação dos dons do Espírito, eles são inumeráveis.
E, sobretudo, eles os fazem viver a certeza absoluta de sua Eternidade, que não sofre qualquer discussão nem qualquer interrogação.
É claro que o mental procura, sempre, o sentido do que é vivido.
Mas o que vocês têm a fazer é observar, sobretudo, e vivê-lo, porque a explicação decorre da vivência e não o inverso.

Vocês constatarão, aliás, cada vez mais, que, mesmo entre aqueles de vocês cujas percepções estejam ausentes ou limitadas, que isso se realizará, também, mesmo se vocês não possam pôr palavras nas estruturas que lhes pareçam animar-se em vocês.
Mas vocês terão essa intuição direta, se posso dizer, da Verdade da Luz que se manifesta e eclode em vocês.

Resposta de Miguel, desta vez:

… Silêncio…

Vocês veem que, mesmo no Silêncio, a Luz dança em vocês.
Tudo isso entra nos processos da descoberta de seu próprio corpo de Existência, não tanto através de sua descrição, mas, diretamente, através de sua percepção e de sua vivência.

… Silêncio…

Vocês observam, também, que, progressivamente, a cada dia, qualquer que seja o interveniente, vocês permanecem, cada vez mais, nesse estado, porque a informação Luz e as respostas chegam-lhes, mas elas não chegam ao mental, elas se imprimem, diretamente, no corpo de Existência.

… Silêncio…

Questão: após alguns instantes, o corpo de Existência parece dilatar-se e querer sair pela Pequena Coroa.

Perfeitamente.
O corpo de Existência sai pelo coração, mas o coração, agora, está presente na cabeça.
Cristo chega à Casa.
Maria chama você.
A um dado momento, a consciência poderá ser transferida, inteiramente, ao seu corpo de Existência.
E é você que sai, como você diz.
Naquele momento, você olhará tudo o que concerne ao efêmero como algo que não tem mais lugar de ser, não porque você deseja fugir de alguma coisa, não porque a Luz empurre você para fora de seu corpo ou fora disso, dessa vida efêmera, mas porque a Eternidade ganhou.

Resposta de Maria, que vem dar-nos olá, também, agora.

… Silêncio…

Enquanto Maria emite sua resposta pela Luz, eu acrescento apenas algumas palavras.
Vocês vão aperceber-se, também, de que nossas Presenças são cada vez mais insistentes, a partir do instante em que vocês emitem um pensamento voltado para nós, é, também, isso a co-criação consciente.

Vocês vão observar, também, progressivamente, ressonâncias entre a ação de tal elemento ou de tal coroa, em relação a essas Presenças, mas, também, em relação aos seus pensamentos, que manifestarão essas Presenças, sem esforço, de modo natural.

… Silêncio…

Eu espero que vocês apreendam, agora, o sentido da frase que nós temos repetido nesses últimos meses: «Quando vocês forem dois, reunidos em meu nome, Eu estarei entre vocês.».

De algum modo, a Luz vai aparecer-lhes, bem mais viva do que o que vocês conhecem ou reconhecem nesse mundo, bem mais viva e bem mais inteligente, como nós o repetimos, sem parar e, aí, vocês vão verificá-lo por si mesmos, pelo corpo de Existência e pelos resultados, é claro, nesse efêmero.

… Silêncio…

Eu esclareço, também, que, quando você está assim, você pode, também, fazer como em certa forma de yoga, portar, também, sua consciência no Coro dos Anjos ou nos sons do ouvido que você ouve, até ser tomado por esses sons e tornar-se, você mesmo, esse som.

… Silêncio…

Questão: quando da efusão de Maria, o número quatro materializou-se em minha consciência, como esculpido na pedra.
O que é isso?

Eu não tenho mais a resposta do que você.
Contente-se em acolher esse número quatro, e deixe, aí também, a Inteligência da Luz explicar a você o que é esse número quatro.
Isso pode ser, é claro, e é ligado, necessariamente, ou, em todo caso, em ressonância com os quatro elementos, os quatro Pilares, com a estabilidade, com o quadrado, com o cubo, e, também, com a Evidência.

É claro, isso pode esclarecer-se e afinar-se em você.
E, sobretudo, foi gravado, você disse, na pedra.
É claro, como você tem a expressão, dizer «gravado no mármore», é algo que não é fixo, mas que é sólido.
E a ressonância com Maria, ao nível de sua Existência, envia-lhe essa imagem ou esse símbolo, em todo caso, essa vibração e não alguma coisa de astral, que é ligada ao arquétipo da cifra, do número quatro, ou seja, antes de tudo, a estabilidade, os Quatro Orientes, os quatro elementos, é claro, os Quatro Pilares, tudo o que faz ressoar em relação ao quatro.

Isso remete, também, ao arquétipo de Maria.
O quatro remete, também, à pedra, portanto, uma vez que, além disso, está na pedra e é, também, a Inteligência criadora, ou seja, a esfera de Binah, da co-criação consciente e de Maria, é claro, cuja representação é, também, ligada ao cubo e ao número quatro.

Aí, Miguel responde:

… Silêncio…

Você se apercebe, também, que, qualquer que seja o ritmo de nossas trocas, que, por exemplo, Irmão K vai pôr-se a soltar palavras a toda velocidade, ou que isso seja com os tempos de silêncio das palavras, a mesma qualidade está em vocês.

… Silêncio…

Se vocês não têm outra questão...

… Silêncio…

Eu concluirei, simplesmente, por essa frase de bom senso:

Doravante, o que quer que lhes aconteça, o que quer que se desenrole em sua vida, e de maneira cada vez mais evidente e consciente, vocês verão, cada vez mais claramente, se estão colocados na Eternidade ou no efêmero.
Vocês apreciarão, se posso dizer, os frutos de um e do outro.
Vocês apreciarão as consequências e os efeitos na própria Luz em vocês, e no desenrolar do que está ao seu redor.
Vocês terão, portanto, ao mesmo tempo, a prova de sua posição e verão, também, como se conduzem as relações no seu interior ou com o ambiente ou com um irmão e uma irmã que lhes dá, portanto, agora e já, a possibilidade de viver os últimos posicionamentos, eu diria, de afirmar, antes, mesmo, do apelo de Maria, precisamente, o que vocês vivem e onde vocês estão.

Então, permitam-me apresentar-lhes as bênçãos de nós todos que estamos aí, uma vez que Maria reuniu-se, e eu vou citá-los, uns após os outros.

Miguel, primeiro, a quem eu deixo o lugar:

… Silêncio…

«Eu sou Miguel, Príncipe e Regente das Milícias Celestes.
Agora que a voz eleva-se, eu lhes transmito, simplesmente, a Graça da espada de Verdade em sua consciência e em sua vida.
Dignem-se acolher essa doação da Graça.»

… Silêncio…

Eu deixo o Espírito do Sol oficiar, agora, e exprimir-se:

«No Espírito do Sol, na Graça do Um, no coração elevado e ascensionado, acolham, escutem e ouçam o som de minha Presença, e a ressonância de minha Presença em sua Presença.»

… Silêncio…

Eu deixo, agora, o lugar a Maria, para que, por sua vez, ela exprima algumas palavras:

… Silêncio…

«Eu sou Maria, Rainha dos Céus e da Terra.
Filho bem amado, permita-me depositar sobre seus ombros o Manto Azul da Graça, o Manto Azul de Buda, aquele do remédio, que vai apaziguar tudo o que é ligado ao seu efêmero, com todo o Amor de uma Mãe.»

… Silêncio…

E eu deixo, com grande alegria, a última palavra ao Comandante, com o Coro dos Anjos.

… Silêncio…

«Bem, eu volto, simplesmente, para desejar-lhes, sobretudo, um bom Pentecostes, que todos os carismas floresçam em vocês, que a alegria do Amor torne-se, verdadeiramente, sua primeira fonte de riso e de alegria, em toda circunstância.

Então, eu os aperto em meu coração.
Eu lhes agradeço por sua presença, sua escuta, sua leitura também.
E vocês não estarão nunca mais sozinhos...

Com todo o meu Amor, eu lhes digo até muito em breve.»

… Silêncio…

Até logo.
----------