Seguidores

SE VOCÊ COMPARTILHAR ALGUMA MENSAGEM DESTE BLOG, FAVOR REPRODUZI-LA EM SUA INTEGRALIDADE, CITANDO A FONTE OU INDICANDO O LINK DA MESMA.

14 de jul de 2015

NO FOGO DO AMOR – Junho de 2015




No Fogo do Amor – Ma Ananda Moyi – O Fogo Vibral


No Fogo do Amor – Miguel – O Fogo do Coração


No Fogo do Amor – Uriel – Eu venho Assistir sua Ressurreição
http://leiturasdaluz.blogspot.com/2015/06/no-fogo-do-amor-uriel-eu-venho-assistir.html


No Fogo do Amor com O.M. Aïvanhov – Trocas na Presença de nossas Presenças
http://leiturasdaluz.blogspot.com/2015/06/no-fogo-do-amor-oma-trocas-na-presenca.html


No Fogo do Amor com O.M. AÏVANHOV – Sequência das trocas

No Fogo do Amor com O.M. AÏVANHOV – Questões e Respostas 1
http://leiturasdaluz.blogspot.com/2015/07/no-fogo-do-amor-om-aivanhov_11.html

No Fogo do Amor com O.M. AÏVANHOV – Questões e Respostas 2
http://leiturasdaluz.blogspot.com/2015/07/no-fogo-do-amor-om-aivanhov_14.html

No Fogo do Amor com O.M. AÏVANHOV – Trocas e Comunhões
http://leiturasdaluz.blogspot.com/2015/07/no-fogo-do-amor-om-aivanhov_40.html

Li Shen - A Dança do Fogo e encadeamento dos quatro elementos.
http://leiturasdaluz.blogspot.com/2015/06/o-retorno-da-fenix-elemento-fogo.html

No Fogo do Amor com
O ESPÍRITO DO SOL e o CORO DOS ANJOS
Primeira Parte: Ouça o Silêncio do Verbo
Segunda Parte: Juntos, vivamos o Instante Presente
Terceira Parte: Celebremos o Tempo do banquete
 http://leiturasdaluz.blogspot.com/2015/07/no-fogo-do-amor-o-espirito-do-sol-e-o.html



No Fogo do Amor – Hildegarde de Bingen – O Fogo do Espírito


No Fogo do Amor – Cristo – Eu deposito, em seu Templo, Meu Sagrado Coração
http://leiturasdaluz.blogspot.com/2015/07/no-fogo-do-amor-cristo-eu-deposito-em.html


No Fogo do Amor – Li Shen – A dança do Fogo
http://leiturasdaluz.blogspot.com/2015/07/no-fogo-do-amor-li-shen-danca-do-fogo.html

NO FOGO DO AMOR – ERIN, REI DOS ELFOS
-----------
Se puder, por favor, considere uma contribuição aqui

NO FOGO DO AMOR – O.M. AÏVANHOV


Junho de 2015

Trocas e Comunhões


Bem, caros amigos, estou animado de reencontrá-los e de partilhar, com vocês, um momento de trocas e de comunhão, é claro.
Queiram dignar-se a aceitar todas as minhas bênçãos, no Coração do Coração e de Coração a Coração, entre cada um de nós, no silêncio, alguns instantes.

… Comunhão…

Vamos poder, agora, trocar sobre o que vocês têm a colocar-me como questão ou como coisa algo a debater e a descobrir, talvez.
Eu os escuto...


Questão: durante os três dias, se eu estou na estase e meus parentes não estão, qual será o comportamento deles, vis-à-vis de mim?

Mas nós jamais dissemos que haveria seres humanos na estase, na totalidade, é claro.
Mas aqueles que não estiverem na estase não serão, verdadeiramente, muito valentes.
E, de qualquer modo, se você está na estase, você está na 5D.
Portanto, seu corpo de carne não tem a mesma visibilidade do que nas condições normais, sobretudo, para aqueles que resistirem à estase, que serão presas de qualquer outra coisa que, eu diria, que não o mental comum de sua vida habitual.
Quanto mais os seres estiverem despertados, mais eles estarão, eu diria, em oposição feroz à Luz e, para aqueles que estão completamente na estase, quer já estejam liberados de um corpo, ou seja, ascensionados, diretamente, no Absoluto, ou que passarem por evacuações sem o corpo, não têm que se preocupar com o corpo, mesmo em relação aos parentes.
Os parentes não os verão, e aqueles que estiverem, suficientemente, em contradição em relação à Verdade da Luz, não estarão no estado de aportar-lhes ou de prejudicá-los, de qualquer maneira que seja, o que quer que seja.
Como diria Bidi, há os que têm o ar de segurar-se, ainda, em seu saco de carne.


Questão: os Nefilim, quem são e qual será o papel deles?

Jamais foi dito que os Nefilim voltariam à Terra e que eles teriam um papel.
Os Nefilim são os Seres de Fogo, que esculpiram os Círculos de Fogo, antes de partir à sua morada de origem e à sua dimensão de origem.
É claro, houve misturas de feitos em alguns escritos que, voluntariamente, fizeram passar os Nefilim por maus anjos.
Mas não há outros maus anjos que não Yaldébaoth e seus bandos de anjos caídos, desviados, e os Arcontes que os acompanham.
É tudo.
Há os híbridos Annunakis, é claro, e é tudo.
O resto pertence, eu diria, à história, mas os Nefilim não têm interesse algum em voltar à Terra de 3D, mesmo para liberá-la.
Eles fizeram o juramento de voltar, mas uma vez que a Luz tiver concluído sua obra para todas as consciências, como para a Terra.

… Silêncio…

Não desapareçam todos ao mesmo tempo, senão, eu vou ficar sozinho aqui...


Questão: desde ontem, meu coração bate de forma anormal; isso é ligado às canalizações que foram feitas nesses últimos dias?

É claro.
O ritmo cardíaco muda.
Quando você encontra algo de agradável, você tem um sobressalto no coração ou, quando você tem medo, também, é claro.
Aí, a Luz vibral, eu o lembro que ela passa, também, doravante, não, unicamente, pelos circuitos que nós havíamos evocado, mas por toda a parte.
Ela se condensa, preferencialmente, você sabe, nas Portas, nas Estrelas.
Ora, você sabe que as Portas AL e Unidade estão em conexão direta com a alma e o Espírito, e que essa alma e esse Espírito têm ressonâncias e alojamentos, se posso dizer, virtuais, ao nível de uma parte do coração, na qual se situa, muito precisamente, o início do influxo nervoso.
Portanto, é perfeitamente normal.

Mas eu o lembro de que, para ascensionar no momento coletivo, o coração deverá, sim, parar, não?
Então.
Não se esqueça de que, talvez não no Ocidente, mas irmãos e irmãs vão começar a desaparecer, simplesmente.
Eles serão ascensionados com ou sem o corpo.
Mas, mesmo com o corpo, a passagem final, de uma dimensão à outra, acompanha-se, eu diria, de uma espécie de sobressalto do coração, de irregularidades importantes do coração, mas que não são, propriamente ditas, uma taquicardia.
É um sobressalto com, talvez, a percepção de batimentos anormais.
Então, é claro, se existem anomalias preexistentes, isso pode parecer anormal, é claro.
Mas não há qualquer inquietação a ter, quando você percebe esse gênero de coisa.
É como se você me dissesse: como eu adormeço e desapareço agora, quando você fala ou não importa quando, vou ver se eu não tenho a doença do sono.
É exatamente a mesma coisa.


Questão: o mantra budista «Om Mani Padme Hum» continua de atualidade, em relação à liberação dos seres?

Eu não sei onde você ouviu que qualquer mantra que seja propiciaria a liberação dos seres, qualquer que seja o mantra.
Um mantra pode elevar as vibrações, mas, crer que a liberação virá de um mantra ou de um rosário, ou de um japamala ou de um terço que você vá recitar, é apenas para provocar uma sideração da consciência comum.
Mas isso jamais liberou ninguém, isso se saberia.
Caso contrário, não importa quem cantasse Mani Padme Hum seria liberado?
A liberação é o sacrifício.
É tudo.

É claro que existem mantras, existem bênçãos, por exemplo, arcangélicas, com mantras que vocês pronunciam, talvez.
Aí, é uma subida vibratória.
É claro que a subida vibratória é agradável.
Isso foi, mesmo, indispensável, para muitos de vocês, durante todos esses anos, porque a consciência era vibração, é claro.
Mas nenhuma consciência, nenhum mantra, nenhuma forma pode liberá-los, porque vocês já estão livres.
Há, já, apenas que reconhecê-lo.
A liberação não depende de qualquer ser, de qualquer consciência.

E eu diria, mesmo, que vocês não podem liberar o que quer que seja, porque, querer ser liberado é, já, considerar que não se está livre.
Mas você é livre em si.
É claro que esse mundo não está livre, mas você, você é a liberdade, além, mesmo, de todas as funções de ancoradores e de semeadores de Luz.
Você não pode pôr uma distância com algo que já está aí e que sempre esteve aí.
Simplesmente, o sonho coletivo fez com que vocês todos aderissem, coagidos e forçados, a uma ilusão coletiva na qual se entrechocavam os pensamentos, as emoções de uns e de outros, que conduziram ao aparecimento de alguma coisa que não existe, jamais, nos mundos livres, ou seja, as noções de bem e de mal, de pessoa, de identificação a essas ilusões.

Se você quer mantras, faça, mais, mantras, quaisquer que sejam – eu não os conheço, necessariamente, ao nível de todas as tradições ou de todas as filosofias – mas faça um mantra que vá permitir-lhe, se quer, nada pedir, mas afirmar a verdade de seu ser, que ela se revele, enfim, porque ela sempre esteve aí.

Mas você pode, sempre, fazer-se bem com o Om Mani Padme Hum, mas, jamais, esse mantra, como qualquer outro mantra, mudará o que quer que seja se a alma está presente.
Ela vai melhorar, é claro, ela pode melhorar algumas coisas.


Questão: o que se tornaram Padre Pio e São Francisco de Assis?
Eles têm um papel, e pode-se pedir ajuda a eles?

Mas você pode pedir ajuda a qualquer consciência, passada, presente e futura.
Mas eu repito o que eu disse anteriormente, antes de dizer-lhe o que eles se tornaram.
Esqueça-se da noção de pedido.
Você está na co-criação consciente.
Então, não ponha uma distância aí, tampouco.

Você pode chamar Padre Pio, não como um apelo a ele, mas é você que sobe a ele.
Então, pouco importa, na ultratemporalidade, se é, eu diria, a energia, a vibralidade de Padre Pio, quando ele estava encarnado, ou Padre Pio, o que ele se tornou.
Agora, você me pergunta em relação a São Francisco de Assis, mas Padre Pio foi São Francisco de Assis, e Padre Pio, agora, é o que você nomeia, de seu ponto de vista, uma esfera planetária, mas ele é, certamente, Absoluto também.

Eu diria que não há mais qualquer limite.
Isso lhes foi enunciado, eu diria, de diferentes modos, durante três dias, pelo Espírito do Sol e o Coro dos Anjos, e vocês verão, quando escutarem, atentamente, o que vocês leem ou as vibrações que são emitidas, vocês verão que há uma progressão nesses três dias, nessas três sequências, se preferem, que, como por acaso, está em ressonância direta com o que foi nomeado, em numerosas profecias e, mesmo, por nós, «os três dias».
É uma preparação vibral.

Tudo isso para dizer que Padre Pio e São Francisco de Assis, a consciência, a energia, a presença desses seres passam a outra dimensão.
Então, ela não é tributária de suas dimensões, de você, exceto se você cria uma distância em relação a eles, o que eu exprimi em relação à noção de pedido.
A co-criação consciente não é um pedido diferido no tempo, em função dos carmas e da possibilidade de estabelecer um contato.
A co-criação consciente é a imediaticidade da manifestação.

… Silêncio…

Isso desaparece, cada vez mais.


Questão: eu tenho sentido, várias vezes, meus tornozelos como cercados.
Continua de atualidade essa situação?

Em todo caso, para você, sim.
Há os que quereriam fugir como os espertos.
Vocês são livres, mas alguns de vocês não se lembram, completamente, não da liberação, uma vez que são livres, mas do teor do Juramento e da Promessa que vocês se fizeram a si mesmos, também.
Então, é preciso esperar, ainda, o final do filme.

É preciso ir até os três dias, obrigatoriamente?

Não, eu disse que havia seres que desapareciam.
Mas, se você não desaparece, e se cada um de vocês desaparece, unicamente, quando me escuta ou vocês nos escutam e voltam depois, é que você não desapareceu desse mundo, de momento, mesmo se você esteja livre.
Isso não concerne, de momento, a essa parte do mundo.
Os povos que desaparecem são ligados a vocações ou funções específicas ou, então, está em relação com eventos precisos, ao nível geográfico, que necessitam, eu diria, de um desaparecimento preliminar.
Vocês estarão, de qualquer modo, no lugar que é preciso, vocês sabem.
Mas se aí, onde você está, atualmente – não deve mais haver lugar, ou seja, há apenas a água – eu não sei como você vai fazer para passar os três dias, não é?
Então, esses seres desaparecem, sim, é claro.

Eu esclareço, uma vez que falamos dos três dias.
Você sabe, já, há um tempo, que tudo é possível, a cada instante, absolutamente tudo.
Mas não se ponha a esperar esse evento.
Aproveite para viver o que a Luz faz você viver.
Desinteresse-se de seu cenário pessoal a vir.
Ocupe-se do cenário da Luz no instante presente, cada vez mais, porque todas as respostas estão aí, elas não estão em outros lugares.


Questão: você pode, por favor, desenvolver sobre a última lua da tétrade de fim de setembro?

A tétrade de quê?
De que você fala?

Da última lua vermelha de setembro.

Ah, isso faz parte de algumas profecias que são conhecidas na tradição cabalística.
Sim, é um evento astronômico como outros.
Mas você sabe, todos os anos, em setembro, há o São Miguel e, se você percebe, as atmosferas vibratórias, você pode dizer e observar, aliás, que o período que corresponde ao mês de setembro é, sempre, o período no qual é suscetível de acontecer algo de importante.
Sim, é claro, porque são ciclos.
Há, já, a órbita da Terra, a órbita do que acontece.
Há, também, essa noção de repetição.
Então, você sente períodos, se posso dizer, e cada ano é assim, há vários anos.
Simplesmente que, aí, há concordância entre muitas coisas, que nos fizeram dizer – por exemplo, no ano passado, no fim do ano – nós havíamos falado da atribuição vibral ou do Apelo.
E aí, agora, nós não falamos, sobretudo, mesmo, mais, da revelação do corpo de Luz e da Existência, no qual você pode apoiar-se nas estruturas, na constituição, em seus desenvolvimentos elementares, mas nós insistimos muito na vivência do que a vida propõe a vocês, e tudo isso para propor-lhes o que a vida proporá a todo ser humano a qualquer momento, quando Maria quiser, quando a Terra tiver decidido, quando as circunstâncias estiverem reunidas para atualizar tudo o que já está realizado nos planos sutis, nas linhas, eu diria, ultratemporais da Eternidade.

Então, isso pode ser agora.
Você sabe, também, uma vez que eu o disse e repito, que há, no máximo, um ano entre a primeira Estrela e a segunda Estrela.
Mas, do mesmo modo que havia uma reserva da primeira estrela (de cometas), do mesmo modo, a segunda estrela pode ser tanto Hercobulus como outro evento planetário, visível a partir da Terra, em sua totalidade.
Então, você vê esse evento, pode ser um ou outro.
Isso nada muda no significado em relação ao Apelo de Maria e em relação aos tempos finais dessa dimensão, não do mundo, é claro, o fim desse mundo.

Então, isso pode ser não importa quando, você compreendeu, com um período privilegiado, se você gosta dos termos científicos, estatísticos, eu diria, efetivamente, durante esse período de setembro, que corresponde, aliás, a São Miguel, a todas as festas religiosas, a algumas festas religiosas que, como por acaso, este ano, estão, todas, reagrupadas.
Mas isso já se produziu, eu creio, durante o ano de 2011, o que fez evocar, a alguns, uma data no mês de outubro, correspondente à cessação da terceira dimensão.

Vocês puderam ver que a terceira dimensão continua aí.
Não se trata de um atraso.
Não se trata de um erro.
Não se trata de algo que foi retardado.
Trata-se, simplesmente, como sempre dissemos, de um processo interior que, se ele está presente junto a mais irmãos e irmãs, permitirá, como sempre, aniquilar, de algum modo, os cenários os mais detestáveis, não em relação à Liberação que é obtida, mas em relação ao que geraria o sofrimento que, eu o lembro, é um motor para esses maus rapazes.

Questão: após tê-lo escutado, alguém me colocou uma questão, e eu respondi com sua voz e com seu sotaque, e as palavras que eu lhe disse não era eu que as pensava, será que era você que falava?

Quem pode falar com minha voz se não sou eu, é claro?
Então, o que eu quero dizer, e isso foi dito, é que a Inteligência da Luz deixaria, a cada um de vocês, por sua vez, falar a Inteligência da Luz.
Mesmo se você não seja canal, mesmo se você não seja médium, mesmo se você não esteja em comunicação, habitualmente.
A um dado momento, a pressão da Luz torna-se tal, que o que vai sair, é claro, não é oriundo de seu cérebro, mesmo se as palavras ali sejam formadas.
Não é oriundo de sua limitação, de sua pessoa.
Isso pode ser, diretamente, seu coração que fala, pela Inteligência da Luz e, naquele momento, isso se chama um Satsang, porque o que fala não é a pessoa, mesmo se a pessoa continue aí.

Então, é claro, esses momentos de comunicação vão tornar-se cada vez mais evidentes, quer seja com os elfos, quer seja com o Apelo de Maria, individual, que se reproduz atualmente, para muitos irmãos e irmãs ou, ainda, por um contato pelo Canal Mariano ou pelo Coração, com um elfo, com um de nós e, mesmo, por vezes, vocês farão um processo de deslocalização de consciência, como uma espécie de walk-in bidirecional no qual eu vou tomar seu corpo e você vai, também, reencontrar-se, em consciência, ou no corpo de Existência ou na consciência pura, em outro lugar que não aí onde você está.
E são processos nos quais, do mesmo modo que nós havíamos dito que havia rupturas da matriz, através dos bugs, em relação às repetições de coisas, em relação a vozes que aparecem quando você fala com alguém mais em você em você, em aparelhagens.
A matriz racha, por toda a parte, você sabe, e isso dá manifestações cada vez mais tangíveis em suas vidas.

Tudo isso faz parte, também, de ver quando é você, como pessoa, como história que se exprime, portanto, quando é o mental que intervém, não em um sentido pejorativo, mas para, efetivamente, ver de onde vem o que emana.
E, depois, quando o mental ali estará, estritamente, para nada, quer seja a Inteligência da Luz, quer sejam as palavras que saem assim, e que são as mais corretas em relação a uma situação ou a um irmão, a uma irmã, mas nas quais você não pensava, ou uma entidade de Luz exprime-se através de você, ou passando pelo Canal Mariano, por uma incorporação ou, diretamente, no Coração.


Questão: será sempre a Luz ou uma entidade dependente dela?

Ah sim, na condição, é claro, de que suas estruturas vibrais estejam abertas.
Na condição, é claro, de que você não tenha feito tournicoti-tournicota com demasiado exagero, entre o ego e o Si.
É claro que há os pequenos astutos.
Mas você tem, agora, a capacidade, se isso se produz, para não ser enganado.
É muito simples: ou você fica na paz depois, ou você não fica na paz, qualquer que seja a surpresa.
Ou você é nutrido ou nutrem-se de você.
Nós nutrimos vocês, nós não nos nutrimos de suas vibrações, é claro.
Coisa que fazem, é claro, os Arcontes, coisa que fazem os Pequenos Greys, coisa que fazem as entidades astrais residuais ou os demônios intraterrestres que são evacuados, agora, de seus esconderijos.


Questão: há aproximadamente dois anos, eu tenho períodos nos quais eu não sei se estou sonhando ou se eu vivo essa realidade, e isso me acontece frequentemente.

Isso corresponde à tomada de consciência de que esse mundo é, efetivamente, um sonho, uma ilusão, como nós dizemos.
Alguns xamãs e alguns povos originais nativos da Terra falam, se quer, de sonho.
O mundo é um sonho, é claro que ele é um sonho.
Quando você acorda, você vê o sonho pelo que ele é, algo que não tem qualquer consistência e que resulta de um hipnotismo coletivo e que tem a particularidade, é claro, de que não pode ser destruído por qualquer combate que seja contra ele.
Caso contrário, ele se regenera, para cada um, como para o conjunto da Terra.
Mas não é mais possível regenerar-se para o conjunto da Terra, desde que a principal força de predação foi afastada para muito longe desse Sistema Solar.


Questão: durante as canalizações, ou eu sentia vibrações, ou eu desaparecia e, agora, ao invés disso, tenho o sentimento de que as coisas vêm-me com cada vez mais dificuldade, um tempo mais longo.

Quais coisas?

O conteúdo das canalizações aparece-me com um tempo de latência.

Sim, porque, quando você fala de conteúdo, você fala de quê?
Das palavras que eu emprego e/ou da vibração que acompanha?

Das palavras.

Sim, é claro, porque vocês não estão mais disponíveis para as palavras.
Vocês estão disponíveis para o desaparecimento.
O desaparecimento está além da vibração.
A vibração pode conduzir ao desaparecimento ou não, então, as palavras, a compreensão racional do que nós dizemos, ela intervém depois.
O importante não é, eu o lembro, o que nós trocamos, não é, propriamente dito, um ensinamento, mas, mais, uma vivência de algumas coisas, e o mais importante é o aspecto vibral.
É claro que há um conteúdo lógico que corresponde ao que vocês vivem.
Mas é claro que o que passa é bem mais importante do que isso, e é, diretamente, ligado à Presença em vocês, em nosso reencontro e em vocês, do Coro dos Anjos e do Espírito do Sol.
É o que soa essa densidade de Luz na qual, finalmente, vocês têm a impressão ou de nada compreender, com um atraso, ou de desaparecer, ou de palpitar ou de vibrar, ainda.
Mas o mais sábio, efetivamente – e, aliás, o mais lógico, não é, mesmo, o mais lógico – é o desaparecimento puro e simples.
Não há anomalia alguma.
Alguns permanecem aí, ou põem-se neles pequenos braceletes nos tornozelos e uma parte deles parte ou não consegue mais partir, outros partem mais facilmente, à vontade.
Há muitas possibilidades diferentes.

… Silêncio…

Será que todo mundo desapareceu?


Questão: qual é a diferença entre o fato de partir agora ou esperar os três dias?

Mas não é para você, é para os outros que lhe restam.
Imagine, eu já expliquei um pouco isso.
Imagine que você esteja perfeitamente liberado vivo e tenha, por razões x ou y, mulher, filhos, netos, situação, pouco importa, qualquer coisa a fazer nesse mundo, mas essa qualquer coisa a fazer nesse mundo não lhe concerne.
Você está liberado.
Mas àqueles que estão ligados a você, seria, talvez, bom ajudá-los, não por palavras, mas por sua presença.
Isso os ajudará, certamente, no momento vindo, a eles também, a cortar os apegos, os laços, os sofrimentos muito mais rapidamente.
Então, não pense em si.
Aí está, também, o sentido do serviço.
Você tem a Eternidade depois.
E você participa, dessa maneira, da elevação das consciências do conjunto da Terra, e você favorece, à sua maneira, a chegada desse famoso momento.
Então, não reclame.
Faça tudo isso com alegria, com prazer.
A vida, lembre-se, põe-no, muito precisamente, onde você deve estar.
E, se você ainda está aí e não em outro lugar, é que há algo a fazer.
Não para si, mas no serviço ao outro.
Porque sua presença vai, talvez, ajudar, sem justificação, sem explicação, a resolver, ainda, as coisas que estão ligadas a você, mesmo se você não esteja ligado a elas.
É claro que elas não podem ligar-se a você e incomodá-lo, porque você está, talvez, liberado, mas aquele que está ligado no outro extremo arrisca não melhorar se você não está mais aí.
As condições serão diferentes, quando isso concernir à coletividade, é claro.
E é por isso que alguns, por momentos, ainda, têm algemas nos tornozelos e que, outros, têm, ainda, um desaparecimento das visões das coisas que davam muito prazer a eles.
A Inteligência da Luz põe a você, exatamente, o que é preciso para você, nessas circunstâncias, mas não para você, para todo o resto que, também, está, ainda, na ilusão.
Você vê a diferença?

… Silêncio…

Eu creio que vocês têm muito sono, não é?


Questão: no ambiente social, vê-se muitas pessoas que desaparecem por AVC, isso é acidental ou, de algum modo, isso faz parte do processo de liberação para essas pessoas?

Os dois ao mesmo tempo, é claro.
Os processos de liberação podem fazer-se de inumeráveis modos, mesmo antes do evento coletivo, uma vez que, de todo modo, cada irmão e cada irmã que falece é, doravante, liberado, com circunstâncias diferentes, eu havia falado disso no mês passado, nós não vamos voltar a esse assunto.
Mas, obviamente, esses desaparecimentos correspondem a alguma coisa.
Mas, é claro, há, também, seres que desaparecem de modo perfeitamente natural e independentemente da ação direta da Ascensão, mas, uma vez que eles estejam mortos, o que é que eles fazem?
Ou são colocados na estase ou eles são liberados.


Questão: as crianças que nasceram recentemente têm ou não um laço cármico com seus pais?

Tudo pode existir.
Nos casos correntes, sim.
Mas há, também, seres, como eu já disse, que vêm assistir ao espetáculo, que nada têm a ver com a falsificação da Terra, de maneira alguma, e que tomam um corpo de carne para viver o processo da liberação.
Tranquilize-se, não há mercado negro para vender lugares.

Você vê bem, aliás, que você está desparecendo, do mesmo modo que os animais desaparecem, por toda a parte, os insetos, a Terra, também, desaparece, ela faz buracos, os vulcões que evacuam o excesso de pressão e de confinamento.
E, mesmo ao nível humano, sem falar desses eventos, você se dá conta, efetivamente, em todo caso, nesse país, como em toda a Europa e em todas as partes ocidentais, que o que você chamava, simplesmente, o humanismo, no sentido o mais nobre: o interesse portado ao outro, a refeição que é colocada e pronta para o vagabundo ou o viajante, as pessoas que se interessavam pelos outros.
Há tantos desvios, de uma maneira geral, pela sobrevivência, pelo fato de ganhar a própria vida, pelo fato que se toma todo o seu dinheiro, tudo isso é a escravidão.
E a escravidão toma tempo.
Isso impede de pensar na liberdade, na liberação, porque na sobrevivência há o medo da morte, também, há o medo de faltar.

Então, você vê, as forças ditas iluminadas são apenas forças demoníacas que inverteram, totalmente, os princípios que eles enunciam, sobretudo, na França: «Liberdade, Igualdade, Fraternidade».
Você vê, efetivamente, que ninguém mais é livre.
Você vê, efetivamente, que não há mais qualquer fraternidade e você vê, efetivamente, que não há mais qualquer igualdade.
Mas isso é o humor negro dos Arcontes.
Põe-no na moeda exatamente o inverso do que você vive.
É uma manipulação de consciências, uma manipulação de palavras, uma manipulação de sentido das palavras, uma manipulação da vibração das palavras.

Você sabe muito bem, outro exemplo que se havia dito há anos, eu creio: fala-se da Organização das Nações Unidas.
Na França, isso dá três letras porque, se se colocasse as letras inglesas, você veria «United Narions: UN».
Você vê, eles chamam a isso a lei de Um.
É, verdadeiramente, o lado malicioso, por vezes, de algumas forças que os fazem enganar-se, porque, quanto mais elas os enganam com as palavras, com os conceitos e com as ideias espirituais, mais isso nutre a eles.
Eu diria, aliás, que vocês não são, unicamente, nutrição emocional ou carnal deles, vocês são, também, o prazer deles de apostar nas coisas, um pouco como alguns de vocês apostam nos cavalos ou nos números.
Mas são vocês o objeto da aposta.
É como se vocês fizessem experiências com ratos de laboratório para observar seu comportamento.
Mas, aí, no caso, eles os consideraram, a todos, eles nos consideraram, a todos, como ratos de laboratório.
E, ainda, o rato, em seu laboratório, ele não trabalha, dão-lhe de comer.
Vocês são obrigados a trabalhar para ter o que comer e um teto e uma segurança e um carro e vestimentas e presentes.
Isso havia sido dito há muito tempo, por Maria: assim que o dinheiro porta um interesse, o mundo torna-se luciferiano e satânico.
É a essência, mesmo, do princípio da usura que, de qualquer forma, foi criada, eu lhes assinalo, pela Kabala.
Os Egípcios não conhecem a usura, nem o empréstimo.
Vejam que é uma regra constante, em todo caso, para muitos povos na Terra.
É dar valor a algo que é apenas um objeto de circulação, de pagamento e de troca.
É o que vocês chamam a finança, mas não se vai voltar a isso, porque tudo isso já está ultracarbonizado, antes mesmo do planeta grelha.

… Silêncio…

Eu os lembro de que, desde o início deste ano, em todos os períodos de silêncio, o Espírito do Sol, quando ele chegou e a Luz vibral e o Coro dos Anjos, mais recentemente, tomavam lugar nesse silêncio.
E, portanto, é normal que, quanto mais avançamos no tempo que passa e mais há espaços de silêncio, mais vocês desaparecem ou mais põem-nos «âncoras» para que vocês não desapareçam.

… Silêncio…

Eu vejo que vocês têm o ar saciado...


Questão: falando do fim dos tempos, nas Escrituras, Jesus disse que Ele enviará seus Anjos para reunir os Escolhidos nos quatro cantos da Terra, mas Ele acrescenta: alguns estarão nos campos, dois estarão dormindo, um será tomado, o outro será deixado, duas mulheres estarão aí, uma será tomada, uma será deixada, quem são aqueles que são deixados.
O que é que eles se tornam?

Mas aqueles que terão que viver os cento e trinta e dois dias!
É o sentido, Ele queria dizer campo, porque, naquela época, falava-se de campo, mas isso será, igualmente, nas casas como nos metrôs, como num veleiro.
Toda a Terra é liberada, mas, no fim, depois dos cento e trinta e dois dias, não antes.

Mas alguns são pré-removidos da superfície dessa dimensão para ir a outros lugares ou eles se pré-removem, eles mesmos, se são capazes de liberar-se no momento dos três dias.


Questão: alguns de nós terão alguma coisa de especial a fazer durante esses cento e trinta e dois dias, aqueles que permanecerão durante os cento e trinta e dois dias?

Sim, cento e trinta e dois dias é uma grande festa.
Não é um trabalho nem uma ocupação, nem uma tarefa.
É, simplesmente, experimentar e viver o Amor.
Não esperem ir à escola, vamos, simplesmente, trocar, uns com os outros.
É claro, há alguns que serão tomados à parte, aqueles que brincaram de tournicoti-tournicota, porque eles assinaram um belo contrato, então, é preciso que se explique a eles.
Lembrem-se do que havia sido dito: a Luz não mente, jamais, mas ela é equívoca para aquele que não é Luz, totalmente.


Questão: por que o nome da «matriz Crística»?

Uma matriz é um modelo de forma, um molde, se quiser.
Nós mantivemos essa palavra «matriz Crística» porque ela significa a forma de perfeição do corpo de Existência.
Uma matriz Crística, pode-se dizer, sem entrar nos detalhes técnicos, é a constituição do corpo de Existência que, eu os lembro, é idêntico, para todo mundo, em sua estrutura, e não em sua manifestação, conforme as dimensões e, além disso, há, obviamente, nesse corpo crístico, essa matriz de Existência, se preferem.
O que nós nomeamos a matriz Crística é o corpo de Existência, mas com uma ressonância específica, que corresponde às condições desse mundo, mas é Cristo, se quiserem, exceto que a matriz Crística é o molde.
É o ponto de partida, se preferem, no qual se agencia seu corpo de Existência e, portanto, a totalidade das novas vidas nas novas dimensões.

O Espírito do Sol é Cristo, menos a forma.
É uma forma de inteligência, mas que não é uma inteligência suportada por uma consciência, mas, eu diria, pela ordem das coisas na Luz.

Vocês não têm outras questões?

Questão: falou-se de meteoritos que deviam cair no final de setembro.
Pode-se falar disso, desenvolver?

Eu não estou certo de ter a detalhar algumas dessas coisas.
Eu o lembro, simplesmente, de que o próprio Miguel falou de pequenas belas pedras que iam chegar sobre a Terra, parece-me.
É claro, se você é observador ou se é curioso do que se produz sobre a Terra e no Céu, à noite, não é, necessariamente, em setembro.
Isso já começou há vários meses.
O balé dos céus é quotidiano, os meteoritos, as bolas de fogo que havia antes; eram alguns períodos e, fora os meteoritos específicos ligados a algumas chuvas deles que se viam no céu, você vê, efetivamente, que há cada vez mais bólidos que se veem, que são enumerados.

Vocês passaram, independentemente dos períodos específicos como o mês de agosto, desse lado na Europa, havia meteoritos que caíam na cadência de várias dezenas por noite, mas algumas noites perfeitamente conhecidas, quando a órbita da Terra atravessava a órbita desses restos meteoríticos.
Em contrapartida, o que acontece, agora, por momentos, é o numero incrível de meteoritos que se tornam visíveis, e cada vez maiores.
Então, sim, é claro, os meteoritos que são a concreção de Miguel vão, necessariamente, tocar a Terra, e a um ritmo muito mais importante.
Tudo isso foi inaugurado há dois anos, por um meteorito que caiu sobre a Terra e havia certo número de danos.
Mas são as forças Micaélicas em ação em sua ilusão isso... entre outras.

Nós chegamos ao fim de nossa, de sua intervenção, perdão.

Pode-se dizer nossa intervenção comum, é claro.
Então, permitam-me render graças ao seu silêncio, ao seu desaparecimento, à sua Luz e às questões também, é claro.

Eu lhes transmito todas as minhas bênçãos, e eu lhes desejo toda sorte de reencontros agradáveis nos diferentes planos de vida nos quais vocês estão.
Todo o meu Amor acompanha-os, todas as minhas bênçãos e vocês veem, alguns não quiseram vir ver-me, bem, eu venho vê-los, e eu lhes digo até breve.
Com todo o meu Amor.

-------------------